sábado, 1 de maio de 2010

E O FUTURO DO BRASIL ? - II

Pior que os valores pagos em juros, remessas de lucros etc., cujos temas são, historicamente desgastados, é a impressionante falta de debates sobre qualquer tema de relevância para , e sobre o Brasil.

Hoje, em nosso pais, a tribuna do Congresso nacional não serve para praticamente nada. Não se denunciam mais as nossas mazelas; não se propõe nada; não se mostram novos projetos. Não se pensa mais sobre nosso destino, sobre que Nação queremos construir.

Hoje, o que assistimos é, de um lado a base dita governista, liderada pelo PT, que nada mais é que um amontoado de políticos, em sua grande maioria, corrupta, que, sem nenhuma base ideológica ou programática, se mistura entre si, sendo que o principal objetivo dessa gente é, ter poder, e se manter no poder para fazer negócios, corromper , enriquecer com os nossos impostos, com o nosso dinheiro, com o nosso trabalho. E reparem são sempre os mesmos, mandando há décadas .


Do outro lado, liderados pelo PSDB, uma dita oposição, que também sem nenhum projeto para o Brasil, é a grande responsável por tudo o que estamos assistindo , a começar pela reeleição do Presidente Fernando Henrique, comprada pelos tucanos. Introduziram, como diz Elio Gaspari, a maior onda de "privataria" da nossa historia, ou seja, uma mistura de privatização com pirataria. Doaram o patrimônio público para amigos, e ainda deixaram o pais devendo o dobro do valor que receberam de Itamar Franco. Uma vergonha! E, é essa gente que quer, ou vai governar esse país.

Ciro Gomes teria sido uma voz contra essa gente, contra a gangue do PMDB, contra Sarney, Renan, Barbalhos, Quércia etc. , além de todos os milionários mandatários do PT. Isso mesmo, milionários travestidos de líderes dos trabalhadores. Não o deixaram sequer ser candidato ! Lógico, pois seria o único que poderia propor uma ruptura, mesmo que negociada, com a oligarquia brasileira, a mais poderosa da América do Sul. Uma pena.

Em resumo, o debate morreu no Brasil. E os nossos problemas permanecem mais vivos do que nunca.

27 comentários:

Anônimo disse...

Omar Peres,

É temos que acabar com o Congresso e voltar a uma DITADURA de direita...Um Golberi Couto e Silva seria a SOLUÇÃO...

Anônimo disse...

Omar Peres,

O debate nao acabou , voce esta analisando a situação de acordo com o lado que te intereça, isso ta fazenod vc cair no meu conselho, temos uma otima candidata que sta pronta para ser a presidente do brasil e que quer romper essse bipartidissmo como vc diz entao temos a opção de votar em MARINA SILVA . Pq vc so fala de dilma, serra e ciro esqueceu da marina ou vc tem raiva do pv e nao acieta falar bem de nehum candidato do partido q vc estava quanndo foi ao publico dizer" Me bota no Senado, que voces vao ver" e se voce estivesse no senado iria omitir a gangue dos castros na zona da mata mineira como vc ta fazendo?
Para ser sincero Omar vc era alto no meu conceito mas so ta caindo , votei em vc para senador mas agora para dep ta dificil vc esta meio demagogo para com isso. Ja que deum um lado da cara para bater da o outro logo, para de querer ccolocar bandido no poder ai eu falo de Helio Costa, minas tem que ser governado pelo mpatrus e cabou a conversa pq caso contario votaremos no Anastasia. E o fato de duda mendonça pedir 15 milhoes para campanha de helio costa e concerteza ele fara a campanha , vc se omitiu nao fala nada entqao no futuro do brasil vc esqueceu de ctar varios fatos e esta esqucedo de citar o futuro de minas e principalmente da zona da mata mineira. Acorda
Desculpa pelas palavras, mas sou uma pessoa que estou deixanod de acreditar em vc.

Anônimo disse...

Quem viveu no tempo da ditadura, sabe dizer o que foi o "sonho", não se podia expressar opiiniões e o pior acabou com os possiveis lideres, já que não se podia reunir para discutir e aprofundar as questões que poderiam nortear um caminho que talvez não fosse o que hoje vivemos.Se a juventude da época tivesse o direito de discutir e se politizarem, talvez não tivesemos de conviver com essa enxurrada de corruptos, já que todos estavam conscientizados politicamente e saberiam separar o joio do trigo.Creio que a história seria outra. Mas o nosso país ainda é novo, só temos 510 anos, ainda dá tempo de modificarmos muita coisa, é só querer.

Anônimo disse...

Concordo com o Blogueiro que pediu para que Juracy Neves e os empresarios de Juiz de Fora, para não dar esmolas ao Cezar Romero...
Ele pede em sua coluna para não dar esmolas aos pobres e pedintes na cidade. É uma nítida articulação no sentido de ajudar a prefeitura a encobrir e sumir com os pedintes das ruas.
Ele não apresenta qualquer alternativa ou solução somente pede para não dar esmolas...
Ora, deve esta ganhando alguma esmola do mensaleiro para divulgar este tipo de postura.
Qual a solução Sr. Cezar Romero? Eu dou esmolas SIM, e vou continuar dando. Você direciona alguma verba da sua FEIJOADA para instituições de caridade? Ora, vai puchar o saco daqueles que te dão esmolas...

Anônimo disse...

Outro dia comentei sobre isso aqui,e so não tomei porrada,porque ainda não inventaram porrada virtual.Acho não,tenho certeza que temos que ter um regime autoritario,com regras rigidas,congresso e senado fechados,e a democracia ser implantada aos poucos,com um codigo penal rigoroso,com uma constituição que defenda o povo e não os mandatarios,como e hoje.Os atuais politicos deveriam ser julgados e condenados,seus bens acumulados atraves de decadas de roubos a nação serem destinados a construções de hospitais,escolas,moradias.A auto estima do brasileiro honesto seria restabelicida quando nos noticiarios nomes como Maluf,Bejani,Quercia,Collor,Sarney e outros tantos,fossem divulgados a punição que essas quadrilhas teriam que cumprir.Imaginem um Maluf sendo condenado a pasar o resto da vida na prisão,assim como o Collor,Bejani,Sarney e as outras aberrações.Ai amigos,com certeza o Brasil não seria conhecido no mundo como o paraiso dos ladrões,dos marginais de todos os tipos.Mas isso e um sonho distante,talvez impossivel.Para se ter uma ideia,teremos que escolher entre Dilma e Serra.Fala serio.

Anônimo disse...

Para quem acha que estamos no fundo do poço,a coisa pode piorar e muito.Essas amizades do Lula com Chaves,Evo Morales,raul Castro o presidente do irã ainda pode dar muito problema para o povo brasileiro.

Thiago disse...

BRAVO OMAR

POR ISSO SOU SEU FÃ

UM ABRAÇO

Thiago Coelho

Anônimo disse...

Neste momento está dificil verificar possibilidade de melhora.

De um lado Sindicalita (Parasitos explorador de trabalhador) e do outro lado Tucanos(Pelegos, Carniceiros, Parasitos do estado).

Marina pode ser minha opção de voto !

Anônimo disse...

Estou lendo comentarios aqui do blog,e tem um assunto que me chamou a atenção.A comparação entre Uberlandia e JF.Como bem disse um cidadão em seu comentario,Uberlandia,independente da politica,fica numa região altamente privilegiada em termos de agronegocios.Mas simplesmente ter terra fertil não deu a Uberlandia a riqueza que hoje eles tem.Se for assim,nos temos uma localização super pievilegiada.JF fica entre as tres maiores cidades do Brasil,e nem por isso somos ricos ou prosperos.O que Uberlandia tem que nos não temos são politicos voltados para o interesses da região,empresarios que se unem para o crescimento de toda região e coletividade,e não so para seus interesses particulares.E para ajudar,ainda conta com o apoio do governo estadual,sempre privilegiando aquela região,e esquecendo as outras,com exeção da região metropolitana.Se JF e região não se fizer presente,não der um murro na mesa e exigir seu espaço,vamos continuar vivendo de esmolas dadas pelo governo estadual e federal,e sem qualquer tipo de interesse que possa atrair grandes empresas para região.

Anônimo disse...

Parabéns MONTES CLAROS. A cidade atraves do volei, foi lembrada, citada, divulgada, mostrou seu ginasio durante a competição, enfim. Enquanto isso, Juiz de Fora, não tem até hoje seu ginasio, não consegue montar nenhuma equipe, so divulga a esculhambação que é, pobre em todos os sentidos. Sem vibração, digna de chacotas, uma verdadeira piada. Quem a define bem e a gente que aqui vive, é o RM e o mineiro que vive no Paraná. Esse acho até que se cansou, também!

Anônimo disse...

OMAR. ESSE CIRO É UMA LUISA HELENA PIORADO. LOCASSO. POR ISSO ELE NÃO TEVE APOIO. E SE NÃO TEVE APOIO É PORQUE NÃO MERECIA SER CANDIDATO. ESTOU TORCENDO POR VC.

luiz penna disse...

Mergulhar no mundo, com profundidade mesmo, sem medo de senti-lo. Conhecer as múltiplas faces de homens, de mulheres, de jovens e de crianças que residem em vários lugares do planeta e coexistir com essas culturas, deve ser uma experiência e tanto. E porquê não? Quem se habilita a deixar os seus afazeres cotidianos, nas suas repetições existenciais, para esmiuçar a alma de outras vidas que estão além dos nossos pequenos universos cotidianos?

Em uma realidade recheada de “facilidades” tecnológicas e, principalmente, com uma formatação em procedimentos “instantâneos”, querer criar novos paradigmas é uma tarefa um tanto complicada; para a maioria das pessoas pode até ser, mas para Carlos Werner, Kiko Zaninetti, Marcelos Barros e Tiago Batalha, não. Definitivamente não é!

Ao contrário, eles sabem que se posicionam corretamente para uma angulação mais inteligente e compromissada com os reais valores planetários. Não estão fazendo uma simples aventura por aí. Afinal, vão estar na estrada durante 3 anos e meio, para levar uma mensagem: ”O homem precisa rever os conceitos de crescimento e desenvolvimento humano, através da sustentabilidade ambiental”.

A ideia é fazer mobilizações sociais, em cada lugar visitado, para deixar uma marca, um toque, da urgente necessidade de se aplicar os princípios da respeitabilidade ecológica, estruturados em um código de ética que possa dar um fim a atual irracionalidade dos abusos cometidos contra as florestas, rios, lagos e mares. Grande parte desta viagem será feita de bicicleta, passando por mais de 40 países, em cinco continentes, num percurso de aproximadamente 45 mil quilômetros.

Eu tive o prazer de conhecê-los na última segunda-feira, dia 19. Eles chegaram em Barbacena por volta das 12hs e seguiram viagem no dia seguinte. Com o tema “Nova origem – pedalando ao redor do mundo”, os quatro viajantes terão muita coisa para contar. Eles estão no começo. Saíram de Juiz de Fora, na tarde de domingo, dia 18, mas trazem consigo a força de estabelecer uma pedagogia itinerante, que reforce uma transformação na consciência das pessoas.

Na verdade esses quatro jovens de 28 anos, são um exemplo de cidadania prática. Se ele tivessem o apoio do poder público, esse projeto poderia ser modelo para multiplicarmos o número de pessoas envolvidas com a causa verde. Mas vamos aguardar os resultados. Tenho a intuição que ele vai crescer e se tornará uma referência para muita gente. Ainda mais por ele ser do bem.

Anônimo disse...

A questão básica de nossa estabilidade na Terra não está relacionada com Sustentabilidade Ambiental.

A questão é bem mais ampla e necessitamos criar conceitos maiores, com o de Prosperidade Integral. Proteger harmonicamente com o meio ambiente com fortalecimento da solidariedade social,economica e cultural entre os povos.

Para os objetivos de Prosperidade Integral os povos necessitam equilibar suas foracidades competitivas, desconsiderar a convivências com consumismo, com a imoralidade e com a injustiça.

Neste momento, os candidatos Serra e Dilma repetem cartilhas que não deram certo. Sendo que a Marina realiza coligações desvitualizantes de suas convicções. Portanto, está dificil de pensar em votar para presidente.

Oxala os debates mostrem caminhos para os candidatos. Exemplo ; Serra não necessita criar Ministerio da Segurança, mas sim fazer o da Justiça funcional para corrigir os nossos pilantras conhecidos.

abracoespirita@gmail.com

Anônimo disse...

Por onde vaza a riqueza ? O GOVERNO LULA MUDOU ALGO NA GESTÃO DAS EMPRESAS DO POVO ?

Petrobras provoca rombo de R$ 1,4 bi, aponta PF.

O superfaturamento de pelo menos cinco obras da Petrobras geraram um custo adicional de R$ 1,4 bilhão, apontam investigações da Polícia Federal. A informação consta de reportagem de Leonardo Souza e Renata Lo Prete, publicada na edição deste domingo da Folha (a íntegra é exclusiva para assinantes do jornal ou do UOL).

Petrobras vai estimar pré-sal antes da ANP
Petrobras compra parte da Açúcar Guarani
Petrobras e Bradesco aparecem em lista das marcas mais valiosas
Petrobras investirá US$ 111 milhões na Colômbia

Segundo a PF, as construtoras envolvidas no superfaturamento participaram, ainda que forma indireta, da elaboração dos editais, de forma a restringir a quantidade de concorrentes e direcionar os vencedores dos certames.

Os documentos da polícia indicam problemas nos empreendimentos: Unidade de Tratamento de Gás de Caraguatatuba, Unidade de Coque da Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar) e Refinaria do Nordeste, entre outros.

Camargo Corrêa, GDK e Queiroz Galvão são algumas das principais construtoras que participam do conluio, ainda de acordo com a PF.

Outro lado

A Petrobras negou irregularidades ou superfaturamento nas obras citadas e afirmou que a variação nos preços se deve às diferenças nos parâmetros técnicos utilizados pelos técnicos da PF, e o Tribunal de Contas, e os parâmetros dos engenheiros da companhia.

A GDK, que supostamente teria sido paga "por fora" para não participar da segunda licitação de Caraguatatuba, afirmou que deixou de concorrer porque a Petrobras mudou o escopo da obra, incluindo "novos condicionantes técnicos".

A Camargo Corrêa preferiu não se manifestar sobre o assunto. A construtora alega respeito à decisão do Superior Tribunal de Justiça, que determinou a suspensão das investigações policiais sobre a empresa. A assessoria da Queiroz Galvão não localizou qualquer diretor da empresa até sexta-feira para comentar o assunto.

Qual é o caminho ?

Anônimo disse...

Continuação ...

Outra coisa não faziam os partidos totalitários na Europa, os populistas na América Latina e as ditaduras militares. Qualquer neófito sabe que sem Estado organizado não há capitalismo moderno nem sociedade democrática.

Não se trata, portanto, da oposição infeliz e falaciosa de mais mercado e menos Estado nem de seu contrário. Na prática o neoliberalismo nunca prevaleceu no Brasil, nem depois do golpe de 1964, quando a dupla Campos-Bulhões reduziu a ingerência estatal para permitir maior vigor ao mercado.

Mais recentemente, com a maré de privatizações iniciada no governo Sarney (com empresas siderúrgicas médias), prosseguida com Collor e Itamar (este privatizando a Embraer e a simbólica Siderúrgica Nacional) ou em meu governo (telecomunicações, Rede Ferroviária Federal e Vale do Rio Doce) o que se estava buscando era tirar das costas do Tesouro o endividamento crescente de algumas dessas empresas produzido pela gestão burocrática sob controle partidário e dotá-las de meios para se expandirem.

Passaram a crescer e o tesouro a receber impostos em quantidade maior do que os dividendos recebidos quando essas empresas eram formalmente “estatais”. Mas o gasto público continuou a se expandir, e o papel do governo nas políticas econômicas e na regulação continuou essencial.

Os resultados da nova política estão à vista. Algumas dessas empresas são hoje atores globais, marcos de um Brasil moderno internacionalmente respeitado.

Outra não foi a motivação para transformar a Petrobras, o Banco do Brasil ou a Caixa Econômica em empresas saneadas e competitivas, sem que jamais governo algum cogitasse privatizá-las. Foram dotadas da liberdade necessária para agirem como empresas e não como extensão burocrática dos interesses políticos.

Essa é a verdadeira questão e é isso que continua em jogo: prosseguiremos nesta trilha, mantendo as agências regulatórias com a independência necessária para velarem pelos interesses do investidor e do consumidor ou regrediremos?

Na prática, o governo Lula se envaidece, como ainda agora, de que o Banco do Brasil ou a Petrobras atuem como global players.

Não retrocedeu em qualquer privatização, começou a fazer concessões das rodovias, cogita fazer o mesmo com os terminais aéreos, chega a simular um leilão para a concessão de Belo Monte, com o cuidado de dar (para inglês ver, é verdade) a maioria do controle a empresas privadas. Por que então não deixar de lado a ideologia e o uso da pecha de neoliberal para desqualificar os avanços obtidos dos quais é usufruidor?

Se esse passo for dado, o debate eleitoral poderá concentrar-se no que realmente conta: a preparação do país para enfrentar o mundo atual, que é da inovação e do conhecimento.

As diferenças entre os contendores recairão sobre a verdadeira questão: queremos um capitalismo no qual o Estado é ingerente, com uma burocracia permeada por influências partidárias e mais sujeita à corrupção ou preferimos um capitalismo no qual o papel do Estado permanecerá básico, mas valorizará a liberdade empresarial, o controle público das decisões e a capacidade de gestão?

Fernando Henrique Cardoso é sociólogo e ex-presidente da República

Anônimo disse...

Enviado por Fernando Henrique Cardoso - em 2.5.2010 para o blog do Noblat em O Globo

Construir sem demagogia


A mesma cegueira impediu que se avaliasse com objetividade o esforço hercúleo para evitar que o sistema financeiro se desfizesse por sua fragilidade e pela voragem dos ataques especulativos.

Proer, Proes e o respeito às regras da Basileia foram fundamentais para alcançar as benesses de hoje. Passamos pelo penoso aprendizado do sistema de metas para controlar a inflação e aprendemos a usar o câmbio flutuante, sujeito — como deve ser — à ação corretora do BC. Esses processos, a despeito de críticas que lhes tenham sido feitas no passado, constituem agora um “patrimônio comum”.

O mesmo se diga sobre a Lei de Responsabilidade Fiscal, que foi duramente criticada pelo PT e aliados e, hoje, é indiscutida, embora nem sempre aplicada com o rigor necessário. Isso revela amadurecimento do país.

Na área social o tripé correspondente ao da área econômica se compõe de: aumentos reais do salário mínimo, desde 1993; implementação a partir de 1997 das regras ditadas pela Lei Orgânica de Assistência Social, atribuindo uma pensão aos idosos e às pessoas com deficiências físicas de famílias pobres; por fim, bolsas que, com nomes variáveis, vêm sendo utilizadas com êxito desde o ano 2000. Esses programas, independentemente de que governo os tenha iniciado ou melhorado, tiveram o apoio de todos os partidos e da sociedade.

Infelizmente, nem em todas as áreas é assim. Sob pretexto de combater o neoliberalismo joga-se no mesmo balaio toda política que não seja de idolatria ao “capitalismo de Estado”, como se essa fosse a melhor maneira de servir ao interesse nacional e popular. Tal atitude revela um horror à forma liberal de capitalismo e à competição. Prefere-se substituir as empresas por repartições públicas e manter por trás delas um partido. No lugar do empresário ou da empresa a quem se poderia responsabilizar por seus atos e erros, coloca-se a burocracia como agente principal do desenvolvimento econômico, tendo o Estado como escudo. Supõe-se que Estado e povo, partido e povo, ou mesmo burocracia e povo, têm interesses coincidentes.
(continua)

Fernando Henrique Cardoso é sociólogo e ex-presidente da República

Anônimo disse...

ATENÇÃO DIRETORES DO HOSPITAL ALBERT SABIN, FECHEM AS PORTAS PARA CONSULTAS JÁ QUE VOCES ESTÃO AGINDO CONFORME NOSSO MENSALEIRO QUE NÃO COLOCAM MÉDICOS PLANTONISTAS PARA TRABALHAR, ONTEM FIQUEI AI NA PORTARIA SENTADINHA POR O4 (QUATRO HORAS) ESPERANDO POR UMA CONSULTA, ASSIM COMO EU, TODAS AS PESSOAS QUE AI ESTAVAM SAIRAM INDGNADAS COM A FALTA DE RESPEITO PRINCIPALMENTE COM OS IDOSOS, SÓ A PEDIATRIA ESTAVA DANDO CONTA DE ATENDER GRAÇAS AO EMPENHO DA DRA.GLÓRIA. VCS TEM QUE TER PELO MENOS 05(CINCO) PLANTONISTAS DIARIAMENTE, COMO QUEREM QUE O2 MÉDICOS DEEM CONTA DE ATENDER AO PUBLICO E AOS PACIENTES INTERNADOS.

Anônimo disse...

Pimentel: PT agora pode abrir mão do governo em MG

Andréia Sadi, iG Brasília | 02/05/2010 08:00

O PT em Minas Gerais começa a resolver neste domingo a principal dor de cabeça dos palanques de Dilma Rousseff, candidata à Presidência do partido. Hoje, a prévia interna vai decidir se é o ex-ministro Patrus Ananias ou o ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel o melhor nome para disputar o governo do Estado. Mas, o grande vencedor, deverá ser o PMDB.

Segundo colégio eleitoral do país, Minas Gerais é um considerado um palanque estratégico para os presidenciáveis. A meses das urnas, a base aliada trava uma disputa pela corrida ao Palácio da Liberdade. Além de Patrus e Pimentel, o ex-ministro da Comunicação Helio Costa também pleiteia a vaga.

Em entrevista exclusiva ao iG, Pimentel deu a senha para o fim do impasse. Como quer o presidente Lula, encampou a tese do palanque único no Estado. E, admitiu que, caso seja indicado pelas prévias, não descarta ir para o Senado. “Existe esta possibilidade desse acordo ser feito de outra forma, com integrante do PT na chapa indo para o Senado, existe, não posso negar que existe. Mas vamos trabalhar para que a gente vá para governo do Estado”, disse.

O resultado das prévias deverá ser conhecido na segunda-feira, dia 3. Com o nome definido, PT e PMDB devem sentar durante a semana e definir o quadro mineiro.

Anônimo disse...

É PRA RIR?

Dilma, a mesma coisa de nada, Dilma não é Lula, Dilma é arrogante, Dilma é autoritária, Dilma é mentirosa!!!!

Serra é a mesma coisa de nada, Serra não é FHC, Serra é arrogante, Serra é autoritário, Serra também mente !!!!

Seja qual for o vencedor desta eleição aí, com certeza não será o povo brasileiro!

Porque para diminuir a pobreza de verdade Omar, para distribuir riqueza de verdade, nenhum destes dois pensamentos de governo incluem na sua agenda a diminuição do estado que vai diminuir o gasto do estado, a consequente queda dos juros, fim da pressão inflacionária e o mais importante, redução de impostos.

Distribuir Bolsa Família ou Bolsa São Paulo, não resolve, é pura demagogia. Aliás, todos os programas do PT nasceram para desespero deles no governo FHC, Bolsa Escola= Bolsa Família, Vale Gás etc. Demagogia e chavismo.

Se uma família que paga hoje 100,00 reais de luz, tivesse um corte de metade dos impostos que recaem sobre o serviço, todos poderiam consumir mais energia com um ar condicionado.

Se 10% da carga tributária sobre a telefonia caisse, de imediato mais 30 milhões de brasileiros contratariam internet banda larga, segundo a própria Anatel.

Diminuir impostos, isto sim é distribuir renda e riqueza, e isto, infelizmente nem Lula, Dilma, Serra, FHC, Ciro e etc propuseram e propõe, pois são gastadores ruins do dinheiro público, basta ver o rombo de 1 bilhão de reais em prejuízo que licitações superfaturadas causaram a sua, minha, nossa Petrobrás, segundo a polícia federal.

Qual é o melhor do pior? Esta vai ser de verdade a grande questão desta eleição!

Anônimo disse...

FHC queria privatizar bancos e estatais de energia

16/04/2010

Um memorando de Política Externa elaborado pelo Ministério da Fazenda em 1999, e recentemente obtido pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), comprova que o Governo Fernando Henrique Cardoso estudou a privatização de bancos públicos, entre eles o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal e o BNDES, e pretendia também transferir ao setor privado outros ativos na área de geração e transmissão de energia.

No dia 8 de março de 1999, o memorando do Ministério sobre o “ajuste fiscal” que seria realizado pelo Governo FHC destacava que o “programa governamental, apoiado pelo FMI, Banco Mundial, BID, BIS e pela maioria dos países industrializados” teria continuidade com a “redução do papel dos bancos públicos na economia”.

(Extraído de Brasíliaconfidencial)

Anônimo disse...

Saiu no Estadão, pág. B14, artigo de Jim O’Neill (pai dos BRIC's):

“O mundo avança lentamente para um futuro melhor”.

“Agora prevemos um crescimento de 4,3% para este ano (do PIB mundial), e de 4,4% para o próximo. O crescimento real do PIB mundial nos últimos 25 anos foi de aproximadamente 3,7%, portanto, estamos significativamente acima disto …”

“ … (por causa da) emergência das chamadas economias dos BRICs (Brasil, Rússia, Índia e China), é que acreditamos que a tendência de crescimento mundial é possivelmente alta. “

“O Brasil exibe inúmeros sinais de uma vitalidade à qual a qual sua grande população não está costumada.”

“Para vocês, no Brasil, o inverno se aproxima, mas não impedirá que desfrutem dos sinais cada vez mais claros de uma saudável primavera. Aproveitem !

Anônimo disse...

PRESIDENTE OBAMA CULPA EMPRESA PRIVADA POR GRAVE VAZAMENTO DE PETRÓLEO

iG - S.Paulo - 02/05/2010

O presidente qualificou neste domingo de "potencialmente sem precedentes" os danos ecológicos e econômicos causados pelo derramamento de petróleo na vulnerável costa do Golfo do México. Obama afirmou ainda que a companhia britânica BP é claramente "responsável" pelo enorme derramamento de petróleo e deverá pagar pela limpeza.

PS - Mas os neoliberais (ainda existem?) não dizem que a empresa privada é o máximo?

Anônimo disse...

Uma operação policial incluindo helicóptero, cerca de 100 policiais foi colocada em prática neste domingo na Av. Brasil. Os resultados foram muito otimistas, foram presos dezenas de adolescentes, menores de idade e alguns maiores de idade que estavam vendendo CD´s e DVD´s piratas, em uma operação que deve ter custado muito aos contribuintes...

Por outro lado no Camelódromo existente no Centro do Rio de Janeiro, a prática de vender CD´s e DVD´s pirata é "legalizada".

Em Juiz de Fora a operação foi cara e cinematográfica, não seria mais correto utilizar os recursos da "informação" e combater a fonte ou seja que produz e distribui os CD´s e DVD´s? Não seria utilizar os recursos dos contribuintes de forma mais racional?

Anônimo disse...

Você devia ler os artigos escritos por FHC a cada primeiro domingo do mês, quem sabe treinando bastante você não se torna um pouquinho melhor.
Aproveitando a oportunidade o senhor tanto critica a poçlítica de Juiz de Fora, o que não é um favor estamos todos cansados de perder, mas a verdade é que as suas práticas são identicas a que fizeram a MINHA cidade perder tanto.

Anônimo disse...

Sempre tem um petista aloprado colocando estupidez pra ver se cola: veja este que diz que FHC queria privatizar bancos, etc... A fonte que ele cita é Brasil Confidencial. Voce já ouviu falar nela? Querem impregnar suas malévolas mentiras pra ver se o povo acredita nelas. Até quanto acreditam que somos imbecis?
Paulo do Carmo

Sergio DeMenezes disse...

O poder do serviço.

Um grande Estado deve ser
Como um vale profundo
A que afluem rios menores.

Deve ser como o lar dos povos,
Como a mãe dos Estados menores.

Assim como, na vida humana,
A fêmea subjuga o macho
Por sua suavidade, beleza e recipiência,
Assim na vida pública:
O Estado sempre vence os outros quando é receptivo.
Receptividade revela superioridade.
Seja o Estado grande ou pequeno,
O que importa é que o grande Estado nada queira
Senão unir e favorecer,
E que o Estado pequeno não queira
Outra coisa senão o bem comum
Assim, nessa mútua colaboração,
Lucra cada um dos dois poderes.
A verdadeira grandeza se revela sempre
Pela receptividade e pelo auxílio mútuo.


Poema nº 61 do livro Tao Te Ching, escrito por Lao Tsé no século IV A.C.


Acima das siglas políticas está o BEM COMUM.


Sergio DeMenezes

Seralemen disse...

Amar...

Não significa apenas dizer "eu amo você".
Representa compreender que todos temos limites; que muitas vezes aquilo que desejamos do outro está, muito além do que ele, de fato, pode nos oferecer.
Que amar e sentir-se amado, supera os prazeres carnais e/ou financeiros.
Que o sexo não é um fim em si mesmo, mas um prêmio por tudo o que ele pode significar e que ele pode representar - apenas e tão somente - um período de vigor e fertilidade física de nossas vidas. Que o sentido da vida reflete o conjunto de todos os períodos pelos quais transita a significância do amor. Que a escuridão só possui sentido por estar onde não haja luz, assim como o seu inverso que também é real.
Que o seu oposto não é o ódio e sim a indiferença, a insignificância.
Que a consideração e o respeito unidos, formam o passo primordial rumo ao amor verdadeiro.
O amor pressupõe que sejamos nós, o primeiro alvo a ser atingido por ele, e que de nada adianta dar ao outro o que nos cabe em primeiro lugar. Que ao dizer "eu amo você". temos que ofertar apenas parte do sentimento que devemos ter por nós mesmos. Que estar preparados para amar, indica a direção que devemos seguir para a doação do excedente do nosso amor-próprio.
Em suma, o amor é:
Amizade, respeito, consideração, humildade, fé, compartilhamento, comprometimento...

Seralemen