quinta-feira, 15 de julho de 2010

SERRA NA FIORENTINA

O candidato à Presidência José Serra, se reuniu, nesta quarta-feira com o meio artístico e cultural do Rio de Janeiro.

O local escolhido para o encontro foi o tradicional reduto dos artistas e intelectuais cariocas, o restaurante La Fiorentina, na praia do Leme, onde jantaram mais de 300 pessoas com o candidato tucano.

De Juiz de Fora, representando os tucanos da cidade, foi visto somente o doublé de médico-compositor , Marcio Ithaboray, um dos melhores clientes da Fiorentina , e grande amigo do proprietário.

Também marcaram presença na Fiorentina, declarando apoio abertamente ao tucano, o poeta Ferreira Gullar , Carlos Vereza, as atrizes Maitê Proença,, Rosa Maria Murtinho, o compositor Ronaldo Bastos e muitos outros.

Uma grande festa .


13 comentários:

Anônimo disse...

Contou os talheres?

huuuuuuuummmmmmm não então dançou.

JC disse...

É verdade que este restaurante já foi seu também? Depois de vender o estaleiro que voce recuperou.

JC disse...

Se me permite, gostaria de retornar ao tema do adicional dos profissionais municipais da saúde. Bela vitória da categoria na camara, mas, veja o que saiu no JFHoje pagina 5 do dia 15/07/10.

"Aprovado adicional para guarda municipal"
Foi aprovado, na Câmara, o adicional de desempenho em atividades
de segurança pública e dedicação integral aos servidores efetivos da
Guarda Municipal, correspondente a 20% do vencimento inicial. O
benefício será suspenso em caso de faltas ao serviço, justificadas ou não, e
não será incorporado à aposentadoria. Os efeitos da lei são retroativos a 1º
de maio de 2010.
Na justificativa, o Executivo afirma que a proposta é um reconhecimento
da Administração aos “relevantes serviços prestados pelos
guardas municipais em nossa cidade. (...) Todos foram preparados para
estar à disposição permanente e atuar tanto nas atividades diárias
programadas como nos eventos que, mesmo não agendados, necessitam do
apoio e qualificação dos profissionais”.

Esta é a mudança com segurança da administração custódio; tira de quem faz bem para a população e dá a quem nada faz.
O que estes guardinhas fazem alem de ficarem batendo papo nas esquinas em rodinhas de 3, 4, 5. NADA, então, como justificar pagar adicional para eles e tirar do pessoal da saude?
Mais uma do todynho, enquanto isso, tadinho do povo.

Júlio Sarchis disse...

Puxa! Quando eu li pensei que era naquele time de futebol da "orapa", bem longe daqui.
Alegria de pobre dura só um minuto.


NOTA: a verificação de palavras do blog para esta postagem foi exatamente: "spolione". Não lembra alguma coisa?

Júlio Sarchis

Anônimo disse...

Custódio de Mattos,

Como é de seu conhecimento pagamos impostos e muito para o município, o que não dá o direito a prefeitura manter um efetivo de guardas e fiscais municipais circulando pelo centro da cidade em bandos de três ou quatro, batendo papo e olhando para as mulheres que passam...Basta ficar parado na Rua Halfeld que é possível presenciar "bandos" de agentes municipais circulando em grupos de 3 ou 4 agentes.
Em qualquer cidade civilizada este policiamento é feito com somente uma autoridade e em caso de necessidade é solicitado apôio.
Mas em Juiz de Fora é diferente a atuação destes agentes e em bando...
É um desperdício de dinheiro público.

caraca disse...

hehehehehehehe,boca livre,0800,birita,rio de janeiro,praia do leme, cidade maravilhosa, reunião no botequim do afonso de madrugada ,tem doutor ai ,que ta dentro.trabalhar pra melhorar a saúde,tem doutor ai,que ta fora.grande psdb.
tem gente que tem bom gosto,vai aparecer coisa nisso ai.
omar voce conhece as peças.
to errado?
tamo junto omar.................

Anônimo disse...

TAVARES DISSE...

Realmente é um absurdo essa cambada de funcionários da guarda municipal,só andam em bandos e ficam batendo papo o tempo todo.Vamos tirar algumas fotos e enviar p/ o Blog para provar p/ a população como estão gastando o nosso dinheiro.

Anônimo disse...

Estragaram a comida, ainda bem que o serra sabe escolher aliados politicos...rsrs, estamos bem, sem ele na presidencia vamos viver longos anos de crescimento, talvez mais 16 anos, hehehe!

Anônimo disse...

La Fiorentina !Este blog está melhor que o Kabelin !

Justo disse...

Ótima esta do Anônimo 08:05:

"Contou os talheres?

kkkkkk

Agora falando sério, olha o naipe dos artistas apoiadores do Serra...

Vereza, tucano amigo de Serra, não precisava fazer o papelão de atacar o Lula e o PT no programa do Jô (outro tucano amigo de Serra). Artista pode apoiar, mas se entrar numa de atacar os adversários, perde (muito) público. Idem para Marcelo Madureira.

Apoiar mau candidato é péssimo negócio para artistas. Marília Pera nunca mais recuperou boa parte do enorme público que ela tinha antes de 1989. Foi ela apoiar o Collor e puf!

Regina Duarte praticamente "morreu" (principalmente na região Nordeste e Norte) depois que foi na TV fazer baixaria contra Lula.

Anônimo disse...

Portal Vermelho
Brasil, sexta-feira,
16 Julho 2010



Brasil
16 de Julho de 2010 - 20h35
Serra dá vexame e admite despreparo em encontro com artistas
A pergunta do baterista Charles Gavin ecoou pelos alto-falantes na tradicional cantina La Fiorentina, no Leme, no fim da noite de quarta-feira. Mas o ex-Titãs ficou sem resposta satisfatória.
No encontro do candidato a presidente José Serra com a classe artística do Rio, Gavin queria saber o que o anfitrião diria sobre a legislação “ultrapassada” a que o setor do entretenimento está submetida.

“Precisamos rever isso urgentemente. Falo sobre impostos e sobre a legislação trabalhista”, questionou. Ficou com a promessa de uma resposta por e-mail do candidato.

Foi o primeiro encontro com artistas nesta campanha. A lista de convidados tinha 357 pessoas e incluía atores do elenco da TV Globo e grandes nomes do teatro e da música. Apenas um terço deles compareceu. Serra, ainda por cima, chegou uma hora atrasado, quando alguns dos presentes haviam ido embora.

Diante de cerca de cem pessoas — entre elas, Sandra de Sá, Danuza Leão, Ferreira Gullar, Carlos Vereza e Fausto Fawcett —, Serra também revelou não estar por dentro da polêmica distribuição de direitos autorais. “Não entendo do assunto, gostaria de aprender mais sobre isso”, assumiu, depois de tentar pedir socorro a seu vice, Índio da Costa, e outro aliado. Ninguém sabia.

Também provocado a falar sobre propostas para cinema e música, Serra disse que, naquele momento, não queria fazer uma abordagem setorial da cultura — mas se dispôs a apresentar propostas posteriormente. Mas o que ele fazia lá, afinal?

A certa altura, o candidato ao governo do Rio Fernando Gabeira esboçou um bocejo. “Eu sei que seu dia começa e acaba cedo. O meu está apenas começando”, brincou Serra, já no início da madrugada.

Sondada sobre a possibilidade de participar do programa eleitoral de TV de Serra, a atriz Maitê Proença recusou. Mais do que isso, Maitê disse não ter definido seu voto. “Vim para ouvir as propostas e saber se ele (Serra) tem alguma plataforma para nossa área”, disse. Deve ter ficado desiludida.

Mesmo o humorista Marcelo Madureira — que declara não ter “nenhuma afinidade com o PT” — evitou o oba-oba com Serra. “Sou contra artista declarar voto e pedir verba. Estou escutando os candidatos, que é o que a gente pode fazer para escolher o voto.”

Os convidados saíram esperando um novo encontro, em que os temas do momento — Lei Rouanet, Lei sobre Direitos Autorais, entre outros — sejam abordados mais profundamente. Na primeira reunião com os artistas, Serra deu um triste vexame.

DILMA NELES.

Anônimo disse...

Omar, deve estar havendo alguma coisa ai. Talvez o Afonso mudou o nome do Bar dele para Fiorentina eu jantei lá na quarta á noite vi o marcio Itaborai e o restante do pessoal estava invisivel. tem alguma coisa errada ai. Quem sabe a medicina esta tão adiantada que o Marcio foi Clonado. Não já sei era outra pessoal no bar do Afonso disfarçado de Marcio Itaborai.
Omar para com isso, vai fazer campanha que a eleição esta ai

Cláudia Figueiredo disse...

Serra dá vexame e admite despreparo em encontro com artistas
(Extraído de http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=133448&id_secao=1)

"A pergunta do baterista Charles Gavin ecoou pelos alto-falantes na tradicional cantina La Fiorentina, no Leme, no fim da noite de quarta-feira. Mas o ex-Titãs ficou sem resposta satisfatória.
No encontro do candidato a presidente José Serra com a classe artística do Rio, Gavin queria saber o que o anfitrião diria sobre a legislação “ultrapassada” a que o setor do entretenimento está submetida.

“Precisamos rever isso urgentemente. Falo sobre impostos e sobre a legislação trabalhista”, questionou. Ficou com a promessa de uma resposta por e-mail do candidato.

Foi o primeiro encontro com artistas nesta campanha. A lista de convidados tinha 357 pessoas e incluía atores do elenco da TV Globo e grandes nomes do teatro e da música. Apenas um terço deles compareceu. Serra, ainda por cima, chegou uma hora atrasado, quando alguns dos presentes haviam ido embora.

Diante de cerca de cem pessoas — entre elas, Sandra de Sá, Danuza Leão, Ferreira Gullar, Carlos Vereza e Fausto Fawcett —, Serra também revelou não estar por dentro da polêmica distribuição de direitos autorais. “Não entendo do assunto, gostaria de aprender mais sobre isso”, assumiu, depois de tentar pedir socorro a seu vice, Índio da Costa, e outro aliado. Ninguém sabia.

Também provocado a falar sobre propostas para cinema e música, Serra disse que, naquele momento, não queria fazer uma abordagem setorial da cultura — mas se dispôs a apresentar propostas posteriormente. Mas o que ele fazia lá, afinal?

A certa altura, o candidato ao governo do Rio Fernando Gabeira esboçou um bocejo. “Eu sei que seu dia começa e acaba cedo. O meu está apenas começando”, brincou Serra, já no início da madrugada.

Sondada sobre a possibilidade de participar do programa eleitoral de TV de Serra, a atriz Maitê Proença recusou. Mais do que isso, Maitê disse não ter definido seu voto. “Vim para ouvir as propostas e saber se ele (Serra) tem alguma plataforma para nossa área”, disse. Deve ter ficado desiludida.

Mesmo o humorista Marcelo Madureira — que declara não ter “nenhuma afinidade com o PT” — evitou o oba-oba com Serra. “Sou contra artista declarar voto e pedir verba. Estou escutando os candidatos, que é o que a gente pode fazer para escolher o voto.”

Os convidados saíram esperando um novo encontro, em que os temas do momento — Lei Rouanet, Lei sobre Direitos Autorais, entre outros — sejam abordados mais profundamente. Na primeira reunião com os artistas, Serra deu um triste vexame".

Da Redação, com agências