sexta-feira, 5 de junho de 2009

A conscientização que avança

No dia em que o calendário recomenda fazer ou falar alguma coisa sobre o meio ambiente, sente-se é que, ainda que muito desrespeitado e agredido, pelo menos há uma crescente preocupação em relação aos problemas que lhe dizem respeito. Até há alguns anos – eu diria não mais de duas décadas – as questões ambientais constituíam assunto para diletantes, alguns acusados de desocupação e desinteresse pela vida, quando, na verdade, eram pioneiros que estavam agindo além da mediocridade, pensando o mundo de amanhã; um amanhã que quase é hoje, por conta da velocidade do tempo e das coisas. Sirva, então, de consolo que há agora uma conscientização crescente, primeiro passo para se chegar à desejável mentalidade, se não perfeitamente conservacionista, pelo menos não predatória. O que nos desafia hoje é a sobrevivência do planeta, e cada um tem responsabilidade pessoal nisso.

Outro aspecto que me parece pertinente no dia do meio ambiente é a necessidade de aprofundarmos a interlocução da sociedade civil militante e os responsáveis pela administração pública. É bom que se entendam, é preciso que dialoguem, ao contrário do que se vê hoje no palanque do fórum ambientalista, onde sobram acusações e falta sintonia de propósitos e de tarefas. Esse entrosamento, que de tão primário ainda é quase imperceptível, constitui necessidade imediata.

A cidade, não diferentemente do resto do mundo, tem problemas a resolver. Precisamos estudá-los e equacionar soluções, para isso vencendo aquele sentimento egoístico de que o que se fizer já não será mais para os nossos dias. Portanto, as próximas gerações que cuidem de sua vida. É um crime pensar assim.





O.P.

12 comentários:

Anônimo disse...

O hospital cabo eleitoral não será na zona norte. Gostei. Os palhaços da zona norte é que dêem um jeito de se locomover até bem perto do centro pois ajudaram a eleger o custódio acreditando em hospital exclusivo. Deveriam é cair na real e se contentar com o lixão da zona norte um empreendimento que vai acabar de desvalorizar a região, imagina a zona norte com a sua força eleitoral tendo que aturar o mal cheiro do lixo e o prefeito querendo eleger seu filinho a deputado. Para mim tá ótimo, têm mal que vêm para o bem já pensou se o custódio falasse a verdade, os otários elegeriam seu filhinho, são muitos os votos.

jorge disse...

Caro Omar, embora estejamos vendo, a cada dia, a natureza responder aos diversos males que à ela atingem, o que se percebe é que isso pouco tem tocado à sensibilidade dos políticos e também de grande parte da sociedade civil. Hoje se discute a questão do lixo, levando-se em consideração, principalmente a questão financeira. Avaliam-se custos operacionais, sem considerar devidamente os custos ambientais.
Infelizmente a sociedade civil não caminha em sintonia com o poder público. Essa interlocução ainda é quase inexistente e, isso foi comprovado na questão do Aterro Sanitário.A audiência pública referente ao tema foi amplamente discutida,mas caiu no vazio. As obras no aterro continuam pela força do poder econômico de quem o constrói. Portanto, embora saibamos que o caminho ainda é a necessidade de aprofundarmos a interlocução da sociedade civil militante e os responsáveis pela administração pública, o que se vê aqui em Juiz de Fora é muito estardalhaço, um verdadeiro "circo" armado em torno das problemáticas da cidade,mas sem nenhum resultado positivo.
Me senti um palhaço ao me imaginar sentado no plenário da Câmara Municipal, assistindo, por mais de duas horas aos vereadores, pagos com o nosso dinheiro, discutirem as questões referentes ao Aterro Sanitário. E o que foi feito de concreto? NADA!!!PURAMENTE CENÁRIO PARA A MÍDA VER, pois Omar Peres estava lá, com a TV Panorama e isso dá voto. No entanto, a Queiroz Galvão continua com as suas máquinas, TORRANDO o meu, o seu , o dinheiro de nós, contribuintes.
O digníssimo Prefeito em exercício fala que não pode dar um centavo sequer de aumento,mas quer aprovar 16% de aumento de ônibus! E,para completar, ainda vai para essa tal feijoada com TODO o seu secretariado, onde certamente quem pagará os ingressos seremos nós, também, com o dinheiro dos nossos impostos. Mas é a mídia quem está patrocinando a malfadada feijoada e isso também dá voto. Agora, pergunta aonde estão as pessoas que venderam os seus votos por 30,00? Elas fazem parte da "Juiz de Fora Invisível", que não aparece em colunas sociais e só aparecem nos jornais em reportagens de ônibus precários e lotados.Mas eu espero que isso seja pedagógico e que esses cidadãos que venderam o seu voto, aprendam, nem que seja na marra, pelo evidente descaso do poder público com eles. E nós, que tentamos votar com cosnciência crítica, mais uma vez estamos passando atestado de otários!

Anônimo disse...

que me desculpe o arauto da eliote falida e bandida, mas dessa vez o CR estraplou:

CESAR ROMERO
Show de carisma
Na visita que fez, ontem,
ao programa Poupança Jovem
de Juiz de Fora - o primeiro de Minas
a ser municipalizado - o governador Aécio Neves deu um verdadeiro
show de simpatia e carisma.

Não seria melhor ele ter falado a verdade, enganar jovens pobres afim de uma oportunidade na vidaálem de desumano é próprio dos maquiavélicos tucanos.
Cuidado Kabelim o Governo Custódio vai acabar no maximo daqui a 4 anos. E aí você vai ter vender classificados de novo.
Ou quem sabe voltar suas notinhas prépagas no mimiógrafo novamente.

Anônimo disse...

Enquanto Custódio e sua gang comem feijoada das estrelas, o pobre idiota que vendeu seu voto pra eles, come pão com merda.

Bem feito.
Vendeu a dignidade, agora toma.

ROGERIO DE MORAES disse...

NATUREZA NÃO EQUILO QUE A GENTE DESTROI PRA DEPOIS FICAR CHORANDO?

Anônimo disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

E AGORA JOSÉ?
E AGORA SEUS MANÉS?

Alunos cumprem ameaça contra professoras

Em uma clara demonstração de desrespeito às autoridades escolares e policiais, três adolescentes, com idades entre 16 e 17 anos, cumpriram a ameaça feita a duas professoras por quem foram repreendidos em sala de aula. Conforme boletim de ocorrência da PM, os estudantes furaram os pneus e arranharam os carros das docentes no pátio da escola. A ação ousada aconteceu na terça-feira, horas depois de os policiais militares, acionados para garantir segurança na saída da escola, terem deixado o bairro, na Zona Sul. O vandalismo teria sido motivado por vingança, já que eles foram suspensos por indisciplina.
Alunos cumprem ameaça contra professoras

Em uma clara demonstração de desrespeito às autoridades escolares e policiais, três adolescentes, com idades entre 16 e 17 anos, cumpriram a ameaça feita a duas professoras por quem foram repreendidos em sala de aula. Conforme boletim de ocorrência da PM, os estudantes furaram os pneus e arranharam os carros das docentes no pátio da escola. A ação ousada aconteceu na terça-feira, horas depois de os policiais militares, acionados para garantir segurança na saída da escola, terem deixado o bairro, na Zona Sul. O vandalismo teria sido motivado por vingança, já que eles foram suspensos por indisciplina.

QUE BOM. E TUDO ISTO PRA RECEBER 500 MIRRÉIS POR MES.
MAS PASSARINHO QUE COME PEDRA SABE O TAMANHO DO CANO DE DESCARGA.
FECHARAM A GREVE QUE SÓ FALAVA EM DINHEIRO, NÃO VÃO GANHAR NADA E TERÃO QUE CONTINUAR ATURANDO ESSES CAPETAS NAS SALAS DE AULA.

E ENQUANTO ISSO O BETÃO QUE FEZ CARREIRA, FECHANDO ESCOLAS PARTICULARES EM DIFICULDADES FINANCEIRAS - ATRAVÉS DE GREVES E MOVIMENTOPS PÓUCO ORTODOXOS, RECEBE 30MIL POR MES E TUDO BEM.

CADA UM TEM O QUE MERECE, OU QUE CONSEGUE, ENGANANDO ESSA MASSA DE PROFISSIONAIS METIDOS A POLITIZADOS.

Anônimo disse...

‘Escola não tem que contra-atacar’
Para o sociólogo e doutor em ciências sociais Rudá Ricci, a crise de autoridade e os episódios, cada vez mais frequentes, de violência dentro das escolas estão relacionados à situação de abandono em que vivem os pré-adolescentes e adolescentes de hoje. “Os pais estão fora o dia inteiro, trabalhando. Eles se sentem menos compromissados com os filhos que as gerações anteriores.” Como consequência, conforme Rudá, o jovem procura apoio em “tribos”, que definem sua formação, seu jeito de falar e de vestir.

Ele defende que a escola precisa ter controle da situação, mas não deve contra-atacar. “A punição pura e simples aumenta o espírito de corpo das tribos, a solidariedade. É como uma torcida de futebol, que, quanto mais provocada, mais se junta. Para intervir em situações de violência, é preciso técnica e profissionalismo; rigor, mas com inteligência.”

O sociólogo também observa que a questão não se restringe às classes populares. “A violência está presente também nas escolas particulares, principalmente quando o adolescente está envolvido com drogas.”
‘Escola não tem que contra-atacar’
Para o sociólogo e doutor em ciências sociais Rudá Ricci, a crise de autoridade e os episódios, cada vez mais frequentes, de violência dentro das escolas estão relacionados à situação de abandono em que vivem os pré-adolescentes e adolescentes de hoje. “Os pais estão fora o dia inteiro, trabalhando. Eles se sentem menos compromissados com os filhos que as gerações anteriores.” Como consequência, conforme Rudá, o jovem procura apoio em “tribos”, que definem sua formação, seu jeito de falar e de vestir.

Ele defende que a escola precisa ter controle da situação, mas não deve contra-atacar. “A punição pura e simples aumenta o espírito de corpo das tribos, a solidariedade. É como uma torcida de futebol, que, quanto mais provocada, mais se junta. Para intervir em situações de violência, é preciso técnica e profissionalismo; rigor, mas com inteligência.”

O sociólogo também observa que a questão não se restringe às classes populares. “A violência está presente também nas escolas particulares, principalmente quando o adolescente está envolvido com drogas.”


ENTENDI:

ENTÃO JUIZ DE FORA TEM 140 MIL PESSOAS, COM PROBLEMAS DE SOCIALIZAÇÃO, POIUS FORAM OS MESMO QUE VOTARAM NO CUSTÓDIO.
E QUER DROGA MAIOR.

Anônimo disse...

A superintendente Regional de Ensino, Nirce de Magalhães, reconhece que os atritos em ambiente escolar acontecem, mas afirma que, diferente do relato dos professores, são pontuais. Ela acrescenta, ainda, que, sempre que a escola solicita apoio, sua equipe se posiciona, tomando as medidas cabíveis. Sobre o aluno que espancou uma professora, no mês passado, informa que o adolescente está em processo de transferência de colégio. Ela reitera que diversos programas são desenvolvidos para evitar os conflitos, mas argumenta que a escola não pode, sozinha, resolver o problema. “Todos os setores da sociedade devem se envolver.”

NANANINHA NÃO:

EU JÁ FAÇO A MINHA PARTE:
PAGO A ESCOLA DOS MEUS FILHOS, LEVO E BUSCO, ENSINO O DEVER, E ACOMPANHO TUDO.
QUEM NÃO PUDER FAZER O MESMO, FAÇA VASECTOMIA.
FILHO É PRA QUEM TEM CONDIÇÃO, QUEM NÃO TEM ...
E ESTAMOS CONVERSADOS.

Anônimo disse...

Palhaços da Zona Norte vão ganhar um LIxão novinho em folha, tão reclamando de que?
Quem vota em ladrão merece 4 anos de punição. se for pobre, leva 40.

Anônimo disse...

Omar, a TV Panorama deveria prosseguir com as matérias sobre a construçãso do lixão em Dias Tavares pelo que me disseram a Queiroz Galvão colocou máquinas lá dia e noite e daqui a pouco mesmo se a justiça mandar parar as obras o lixão já estará pronto. O prefeito mensaleiro disse que "estamos em vias de implantar um novo aterro sanitário" assumindo descaradamente sua cumplicidade neste crime contra o meio ambiente e contra os dofres públicos. Esse é o Todinho do Bom Pastor

Anônimo disse...

Juiz de fora, 159 anos!!!!

Onde foi parar a "Manchester Mineira"?

E os investimentos em infraestrutura desenvolvimento sustentável??

Grandes empresas e polos industriais?

Estamos perdendo para cidades do interior do estado do rio de janeiro , grandes investimentos... Porque?

JUIZ DE FORA....

CIDADE DE FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS MAL PAGOS , APOSENTADOS ENDIVIDADOS , ESTUDANTES DUROS ,ALCOÓLATRAS .

Realmente , a cidade , os eleitores , merecem os políticos que os representam!

Professor.

Nicácio disse...

Esse Custódio tá ficando pior ke o Bejani eiinn,se ele ficar desse jeito nego vai dar um jeito de enxota-lo da Prefeitura.