sábado, 3 de abril de 2010

OS OITO ANOS DE AÉCIO. O QUE ELE FICOU DEVENDO À ZONA DA MATA - II

Aécio inovou na política mineira: sua concetração de poder político partidário, jamais visto na história de Minas, assim como Lula, no Brasil, permitiu ao Governador mineiro, lançar um nome a sua sucessão, que jamais disputou um voto sequer, em toda a sua vida: Antônio Anastasia.

A despeito do histórico de sua família, pai e avô , e ele mesmo, serem políticos que sempre atribuíram ao voto, o ato mais importante da democracia, Aécio, atropelou os sonhos de muitos correligionários, de companheiros políticos de toda uma vida. Políticos também eleitos, e responsáveis pelo sucesso do neto de Tancredo. Vários deles sonharam em ser candidatos a sua sucessão ao governo de Minas. Preteriu a todos.

Em detrimento de todos os companheiros políticos com votos, Aécio , escolheu Antônio Anastasia, um homem sem voto, sem histórico político, mas com larga experiência dentro da máquina do Estado. Aécio escolheu o técnico que o ajudou a montar a maior e mais bem sucedida e organizada estrutura de poder da história do Estado mineiro.

Agora, resta saber se Anastasia, sem o charme , e sem o carisma de Aécio, e mesmo com o ex- Governador ao seu lado, terá, em primero lugar, a base Aecista, ao seu lado. Eu acho pouco provável. Em nossa região, Anastasia perde. E perde feio. Veremos o resto do Estado, onde terá de enfrentar o PMDB e o PT juntos, com Lula no palanque de Hélio Costa.

O futuro político de Aécio corre um enorme risco com a decisão de lançar Anastasia. Explico: se Anastasia perde, como explicar para o resto do Brasil, que alcançando um dos maiores índices de popularidade da historia, o Governador Aécio Neves não elege seu sucessor?

O mais impressionante do poder político-partidário que representa Aécio Neves, é que ninguém dentro de seu partido, ou de sua base aliada, contestou a decisão. Ninguém, absolutamente ninguém, mesmo insatisfeito, declarou decepção publicamente, pela escolha de Anastasia.

A exclusiva opção por Anastasia, não foi , por parte da imprensa mineira, como em tantos outros assuntos, como por exemplo, a taxa praticamente zero de crescimento econômico da Zona da Mata, pelo que me recordo, motivo para pauta. Passou batido o fato do Governador do Estado não ter conseguido, entre mais de 100 parlamentares estaduais e federais, alguém com competência para sucedê-lo.

Aécio decidiu dar continuidade à sua gestão, indicando o homem que o ajudou a reorganizar o Estado. Impossível não reconhecer que Minas está, sob o ponto de vista de gestão financeira, totalmente ordenado. Acabou com os tempos de salários e fornecedores atrasados. Colocou, rigorosamente, a ordem na casa. A gestão financeira do Estado é impecável. Inclusive sobrando para investir em pesadas campanhas publicitárias.

Para a formação e estabilidade do caixa, Aécio/Anastasia fundamentaram suas ações em duas vertentes: a primeira, os "royalties", ou melhor, a participação do Governo mineiro na extração do nióbio em Minas, em sociedade com o grupo Moreira Salles. Esses recursos, administrados pela Codemig (cujo Presidente, Oswaldo Borges, ao permanecer no cargo, recebeu, de Aécio e Andrea, a maior demonstração de grandeza da família Neves) , foram todos direcionados para a construção da maior obra do Governo Aécio, o novo Centro Administrativo de Minas Gerais.

A segunda fonte de recursos, não poderia ser outra, a arrecadação de impostos. Com uma rígida política de fiscalização, mesmo que a custa de perda de muitos investimentos que não vieram para Minas por falta de competividade fiscal com os Estados do Rio e Goiás , Aécio conseguiu equilibrar o caixa, para logo em seguida, torná-lo superavitário, cujas sobras, cumpridas as obrigações de custeio da máquina do Estado, foram direcionadas a importantes obras por todas as Minas Gerais, o que lhe conferiu o maior índice de aprovação na história dos governadores mineiros.

Encontro na administração do caixa do Estado, a maior virtude do Governo Aécio. As distorções e a irresponsabilidade de outros governos, começando por Hélio Garcia e Newton Cardoso, quebraram o Bemge e o Crédito Real. Sem nos esquecermos da tentativa do crime que se praticou com a doação da CEMIG pelo governo Azeredo, impedida pela coragem cívica de Itamar Franco.

Por tudo isso, por todos essas décadas de roubalheira e de absoluta falta de administração dos recursos públicos, Aécio recebeu o Estado em frangalhos, sem caixa, sequer para pagar a folha e a conta de luz. Nesse sentido, Aécio entrega Minas Gerais , financeiramente, de .

12 comentários:

Anônimo disse...

FELIZ PÁSCOA OMARRRRRR!
QUE NESTE DIA DE RENOVAR A RESSUSCITAÇÃO DO SENHOR,OS JUIZFORANOS GUARDEM NA MEMÓRIA TUDO O QUE VOCÊ TEM FEITO E DENUNCIADO.


PITUCAPA

Rogerio Moraes disse...

CONCORDO QUE AÉCIO TENHA DEIXADO MINAS DE PÉ.
MAS TODOS HÃO DE CONVIR QUE ELE DEIXOU A ZONA DA MATA DE 4.

luis disse...

Olhem só! Mais uma dessa administração,no verbo futuro:

"REURBANIZAÇÃO DO CENTRO
Obras começam pela Rio Branco
O projeto de reurbanização e revitalização das principais avenidas de Juiz de Fora VAI sair do papel este mês. De acordo com a Secretaria de Obras, as intervenções começam pela Avenida Rio Branco, e o edital de licitação DEVE SER lançado nos próximos dias."
E no prsente? NADA!!!

Anônimo disse...

Seria muito interessante os mineiros observarem a CODEMIG.

A Codemig mostra ser um balcão de negociação politico, com recursos dos mineiros, que serve a interesses muitas vezes desconhecidos. Esta questão do Nióbio é muito misteriosa, pois os recursos dele obtido deveria ser como Royalties e não para construção de castelos medievais.

O Aécio pisou na bola e o resultado foi sua desaprovação como candidato a presidencia da republica. Esperamos que Minas abra uma nova era com o Helio Costa e sem as oligarquias que destruiram Minas.

FFGL

Anônimo disse...

Caro Omar, a sua análise a respeito do Governo Aércio como sempre , foi perfeita!! Porém é importante, também não esquecermos de fazer uma análise,não apenas tecnica, enfocando somente o desenvolvimento estrutural e econômico de Minas Gerais. É necessário que se diferencie crescimento econômico de desenvolvimento social. Para tanto, temos que exclarecer uma coisa:
É fato que o Estado conseguiu equilibrar o caixa, para logo em seguida, torna-lo superavitario. Mas essas sobras NÃO foram direcionadas a importante obras por TODAS as Minas Gerais, e sim, para algumas regiões extratégicas para o Governador, tais como, Triângulo Mineiro e a capital.
Além do mais, tudo iso foi conseguido à um preço muito alto!! A carga tributária é muito dura!! E, o pior, pouco foi revestido no material humano em benefício da mão-de-obra do nosso Estado. Se vermos propagandas de Minas Gerais, julgamos que estamos em uma cidade de 1º mundo! Aqui tudo funciona com perfeição! As escolas são modelos, os hospitais tem tecnologia avançada e as estradas nem se fala!!
Essa é a cara e o jeito de fazer política do PSDB! Os seus governos têm o perfil claro de um marketing forte!!Investem pesado na imagem!
No entanto, essa imagem só é coerente no Triâgulo Mineiro e em BH. Pois, na Zona da Mata e no Norte de Minas, o atraso é a olhos vistos. Isso só confirma o que já não se pode esconder: Que Aércio NUNCA olhou para a Zona da Mata. E aí eu concordo com vc, Omar. Aqui Anastaisa perde de goleada!!

Anônimo disse...

E os salários de nós barnabés ? É um choque de gestão...Eh um espanto!

luis disse...

Apesar do título dessa postagem ser “Os oito anos de Aércio. Ele ficou devendo à Zona da Mata” sinceramente, ele está uma clara campanha em favor dele e do PSDB.
Não pretendo ser pretensioso ao tentar fazer uma análise do discurso em cima da sua competente análise, mas, me permita comentar algumas colocações:
“Aecio entrega Minas Gerais , financeiramente, de pé”. Isso parece ser real..
“ Aecio conseguiu equilibrar o caixa, para logo em seguida, torna-lo superavitario, cujas sobras, cumpridas as obrigacões de custeio da maquina do Estado, foram direcionadas a importante obras por todas as Minas Gerais, o que lhe conferiu o maior índice de aprovação na historia dos governadores mineiros”. Me desculpe,mas aí você entrou em contradição com o título do artigo,já que disse que ele ficou devendo a Zona da Mata, o que é claro e evidente!!Ou a Zonda da Mata não é Minas Gerais?
Tenho um só objetivo, com essa serie de artigos: analisar. Também não me parece somente uma análise .
E , no final, essa frase,: O que importa é ganhar, a qualquer custo, não importando quem esteja ao seu lado. O feio 'e perder. Fernando Pimentel , do PT, ex prefeito de Belo Horizonte, não fez acordo com Aercio para eleger Marcio Lacerda ? Vale tudo. Não existe mais palanques”,
Embora nós saibamos que não existem mais palanques, tenho que ser honesto com você,Omar, essa sua declaração me decepciona, pois sempre o considerei uma pessoa que acredita em outra forma de fazer política e que tem, nesse tempo todo, nos passado a idéia de que podemos sim, acreditar que ainda existem políticos sérios.Daí, falar que o “que importa é ganhar a qualquer custo...” Achei muito forte e me soou meio estranho,confesso!

Anônimo disse...

Não vejo muita diferença entre o governo petista do Lula,do governo tucano do Aecio.Vejamos,ambos desenvolveram muito varias regiões e classes socias,mas esqueceram e prejudicaram outras.Isso e fato.Nem o Lula,nem o Aecio jamais entraram no merito quaqnto o assunto era corrupção envolvendo amigos,partidarios,e outras cositas mas.Do mesmo jeito que o Lula não sabe,não viu,e não escutou nada,o Aecio tambem.O Lula quer porque quer que a Dilma,apesar de nunca ter sido votada em nada na vida,seja a proxima presidenta,como querem que chamem o PT.O Aecio tqmbem não abre mão do Anastasia para ser seu sucessor.Portanto petistas fanaticos,como podem ver,os dois são farinha do mesmo saco.

Anônimo disse...

Enfiaram a mão no Tupi outra vez.E o presidente banana do Galo,Sr Doutor advogado Aureo,acha tudo normal.Queria ver se fosse um cliente dele,esses com a conta bancaria bem recheada,se ele aceitaria que o mesmo fosse prejudicado.Sr Aureo Fortuna,o senhor como presidente do Tupi e um exelente advogado.Quinta feira todo mundo no estadio,e de olho no juiz.Se ele fizer gracinha,e pressão em cima dele.No nosso terreiro quem manda e a gente.GALOOOOO.

bolivar disse...

Não entendi bem a relação do futebol, com esse assunto. Ou melhor, tem a ver sim, pois o futebol tem uma intrínsica relação com o Governador, uma vez que uma das suas "maiores obras" para a Zona da Mata foi o Placar eletrônico, que, de tão obsoleto, nem foi instalado no Estádio Municipal,pois nem ferro velho queria. Esse era o nosso governador!.

Anônimo disse...

Nao entendeu mas fez relação. Por isso a cidade recebe esses presentes de grego. Um monte de bananas. E não adianta chiar, vamos ganhar em JF de novo. A nossa torcida, será maior que a do time da casa e vou me juntar a ela.
Vamo que vamo, Tigre.
Pobre desse Eurico, fica batendo em ferro frio. Aqui so tem torcedor de time do Rio. Em Ipatinga, torcemos po Minas e jogamos na serie B e A. Esse time aqui é de varzea.
Devem ir 3000 torcedores, com 2000 pagantes, o resto é tudo carteirada e duros e todos vao sair com o rabo entre as pernas.
qua qua qua qua qua
TIGRE CAMPEÃO 2010

dimasflores disse...

Luis não compreendeu o texto. Omar citou pensamento político atual, não falou que esse é o pensamento dele.