domingo, 19 de dezembro de 2010

ESTÁ CHEGANDO A HORA DE DIZER ADEUS.

Acho que dei uma boa contribuição para a cidade de Juiz de Fora. Considero que fiz coisas importantes. Isso, no âmbito de ações pessoais, empresariais e, de minha participação na politica municipal.

Vou falar sobre tudo isso, quando o blog completar UM MILHÃO DE ACESSOS, DATA EM QUE ELE SAI DO AR E, ENCERRA SUAS ATIVIDADES.

O blog do Omar Peres foi o veículo alternativo mais importante da história das comunicações de Juiz de Fora. Cumpriu com absoluta liberdade, seu papel de arauto de todas as tribos da cidade. Gostaria que tivesse sido mais.

No fundo, com "inveja" do Julian Assange, gostaria que o blog do Omar Peres tivesse tido o mesmo papel do WikiLeaks. Ou melhor, tivesse sido o WikiLeaks de Juiz de Fora. Mas faltou quem abastecesse o site. Não por falta de material. Falta de coragem mesmo de quem vive aqui.

É sonhar demais. Um wikileaks jamais poderia funcionar em Juiz de Fora: a expressiva maioria da população da cidade tem medo do poder. Até de forma anônima.

DAREI, NO ÚLTIMO DIA DO BLOG O NOME E ENDEREÇO DE QUEM É QUEM DOS PARTICIPANTES DO BLOG. O nome mais surpreendente é da "Fernanda Sues" ! Vocês não vão acreditar ! Aliás, achava melhor o personagem me procurar para pedir desculpas, pois caso contrário, vai ficar desmoralizado.

Por outro lado, não posso deixar de citar dois nomes de pessoas "normais" que participaram desse blog e, que não se intimidam em ser eles mesmos: Rogério Moraes e Júlio Sarchis. Caso raro em Juiz de Fora, ou seja, não ter vergonha de dizer o quen pensa, muito menos medo de se expor.

A vida me leva para outras trilhas. Interessantes, instigantes. Juiz de Fora fica no passado, um capitulo de minha querida e amada vida. Novos projetos, novos desafios, novas realizações já chegaram. Só posso dizer que estou muito feliz.

Confesso que perdi o entusiasmo em escrever, de dar continuidade ao blog. Até porque, comprovadamente, ele não tem a menor importância. Mesmo com um milhão de acessos.

Até lá. Até breve.

12 comentários:

Thiago Coelho disse...

QUE ISSO!!!???

Rogério de Moraes disse...

EMBORA TRISTE COM A NOTICIA, ERA DE SE ESPERAR.
LUTAR SOZINHO É RUIM. MAS LUTAR SOZINHO E NÃO TER RECONHECIMENTO É PIOR AINDA.
JUIZ DE FORA, CIDADE FEITA POR "ESTRANGEIROS" DEVE ESTAR MUITO FELIZ.
SIM POR QUE AGORA ESTÁ SE CALANDO A ÚNICA VOZ QUE MESMO DEFENDEDO-A DO SEUS LADRÕES E ALGOZES, FOI ACHINCALHADA, CALUNIADA E SILENCIADA.

POIS BEM CONTINUO AQUI COM A MESMA OPINIÃO SOBRE ESTA ROÇA METIDA A MANCHESTER, E CADA VEZ MAIS DESILUDIDO COM MEUS CONTERRANEOS, SE É QUE SOU CONTERRANEO DESSA CAMBADA DE BOSSAIS FALIDOS. EU SOU JUIZFORANO DE CORPO E ALMA, UNHA E CARNE (DE PESCOÇO)...

MAIS UMA VEZ FICAMOS ORFÃOS...
bejanis e custódios SOLTAM FOGUETES.

MAS NÃO HÁ POR QUE LUTAR.

O POVO QUE VIVE NA MERDA NÃO CONSEGUE VER ALÉM DELA...

Rogério de Moraes disse...

O barbeiro

Certo dia um florista foi ao barbeiro para cortar seu cabelo. Após o
corte perguntou ao barbeiro o valor do serviço e o barbeiro repondeu:
- Não posso aceitar seu dinheiro porque estou prestando serviço
comunitário essa semana.
O florista ficou feliz e foi embora. No dia seguinte, ao abrir a barbearia, havia um buquê com uma dúzia de rosas na porta e uma nota de agradecimento do florista.
Mais tarde no mesmo dia veio um padeiro para cortar o cabelo. Após o corte, ao pagar, o barbeiro disse:
- Não posso aceitar seu dinheiro porque estou prestando serviço comunitário essa semana.
O padeiro ficou feliz e foi embora. No dia seguinte, ao abrir a barbearia, havia um cesto com pães e doces na porta e uma nota de agradecimento do padeiro.
Naquele terceiro dia veio um deputado para um corte de cabelo.
Novamente, ao pedir para pagar, o barbeiro disse:
- Não posso aceitar seu dinheiro porque estou prestando serviço comunitário essa semana.
O deputado ficou feliz e foi embora. No dia seguinte, quando o barbeiro veio abrir sua barbearia, havia uma dúzia de deputados fazendo fila para cortar cabelo.
Essa história ilustra bem a grande diferença entre os cidadãos do nosso país e os políticos que o administram.

POLÍTICOS E FRALDAS DEVEM SER TROCADOS COM FREQÜÊNCIA PELO MESMO MOTIVO!

Thiago Coelho disse...

Caro Omar...

Confesso-lhe que fui dormir bastante frustrado com tal Informação e até perdi o sono durante a madrugada.
Bem, mas somente pelo de fato de você estar FELIZ, ISSO É MUITO BOM...
Espero que o livro do Osho tenha servido para algo.
Você já está sentindo?

Um abraço

Thiago Coelho

Marcos disse...

kkkkkkkkkkkkkk ja era

Custodio, Aecio, Itamar, Anastasia e os Andradas venceram voce e o Helio Costa agora é hora de voce vazar omar....ate mais

fedoceo disse...

Ola Omar já disse anteriormente e vou repetir que entendo a sua frustração mas, dai, entregar os pontos a elite bandida dessa cidade? Espero do fundo do meu coração que vc reveja a sua posição! Mas te faço um pedido: No dia que revelar o nome dos anônimos, por favor, verifique quem foi o palhaço que disse em uma postagem anônima que meu PAI era um entreguista. Vou ter o prazer em olhar no fundo dos olhos desse "cidadão" e cobrar pessoalmente que prove o que disse.

ismaelgalvao disse...

Sem o Wikileaks de Juiz de Fora vamos ficar sem saber nada de "concreto" que ocorre na cidade ! Era o meu jornal local !

José Geraldo Business Costa disse...

Em nome do povo conceicionense, quero lhe agradecer, Osmar Perez, pela sua honrosa atitude de nos contar a releitura do " Nemo " o filho de papai que adora uma soneca depois do almoço. Este conto nos divertiu muito pode acreditar. Agora o "Nemo" já está bem velho, mas nao tem vocação para política. Só tem vaidade e uma meia dúzia de bajuladores na cidade, ele está cheio do vazio de si próprio. Agora ele está Dentro do Mato de Conceição sem cachorros, porque faltam-lhe apenas 9 dias para ficar desempregado.Acho que o Sarnê vai chamá-lo para ser caseiro. Chego até imaginar um filhotinho de papai "nemo" que vazou pelo ralo, se deu mau na política porque é ruim de serviço, Trabalhando pro Sarnê cortando grama e de vez em quando fumando um cigarrinho de palha debaixo de uma arvore, escondendo-se do sol, porque aqui em Conceição ele só leva "fumo" rsss. O desemprego é triste neh. Oh Sarnê, tem dó do mininu.Um salario minimo já da para ele ir equilibrando...

Osmar, não é hora de partir, fique conosco até o dia em que Conceição do Mato Dentro voltar a sorrir, porque a coisa por aqui não anda nada bem. Mas que bom que conseguimos nova eleição para 06 de fevereiro de 2011.Agora nada de cartas marcadas, nada de tapetão, o poder voltará para o povo, este que foi usurpado por uma meia duzia de maus intencionados que querem administrar nossa cidade por qualquer preço, vamos dizer um não a eles mais uma vez. Nós fazemos a história, nós somos a história.Essa sim vai ser contada de geração pra geração, já o "nemo" ta dormindo demais para o meu gosto.

José Geraldo Business Costa disse...

Meu nome é José Geraldo, não deixe de postar meu recado

Julio Sarchis disse...

Péssima notícia para os de cara limpa. Ótima noticia para os fichas sujas de Juiz de Fora e região. É uma pena, mas entendo sua posição. Eu, que sou apenas um mero cidadão cumpridor dos meus deveres (direitos!? acredito que não tenho) só de ver as falcatruas de nossos politicos fico com taquicardia. Imagine você que quer comprar a briga por nós.
Realmente, tentar tirar patriotismo de dentro do brasileiro é o mesmo que tirar leite de pedra.
Em um pais em que 90%, ou mais de seu povo, se quer sabem o hino nacional. Fazer o que? Dar murro contra a parede?
É uma pena essa porta se fechar, mas torço para que tal pensamento seja revertido!
Mas enquanto pudermos utilizar o espaço que você nos abriu, vamos continuar cobrando moralidade, cidadania, patriotismo e honestidade daqueles que nos representam em todas as esferas.
Que sejamos como o Bispo D. Manuel E. Cruz. Vejamos:
Em protesto contra o reajuste de 62% que os parlamentares concederam aos seus próprios salários, o bispo emérito de Limoeiro do Norte, do Ceará, D. Manuel Edmilson da Cruz, recusou a comenda de Direitos Humanos D. Hélder Câmara, que este ano foi conferido pelo Senado, pela primeira vez.

Ao falar no plenário, na sessão de entrega da comenda, o religioso lamentou que o Congresso tenha aprovado aumento para seus próprios salários, com efeito cascata nos vencimentos de outras autoridades, enquanto os trabalhadores no transporte coletivo de Fortaleza mal conseguiram 6% de reajuste, em recente reivindicação trabalhista.

Segundo o bispo, enquanto o Congresso premia a si próprio, as aposentadorias estão reduzidas e o salário mínimo cresce "em ritmo de lesma". "Só me resta uma atitude: recusá-la (a comenda). Ela é um atentado, uma afronta ao povo brasileiro, ao cidadão, ao contribuinte, para o bem de todos com o suor no seu rosto e a dignidade no seu trabalho", disse. Para D.Manuel, o deputado e o senador que aprovaram o reajuste "não é parlamentar. É para lamentar". O bispo foi um dos cinco contemplados pela comenda D.Helder Câmara.

Os senadores e deputados devem estar rindo disso tudo!!!!!!

Júlio Sarchis

Guilherme disse...

Omar, ficou sabendo das questões que cairam na prova do vestibular de UFJF??
Abordando a perda do "porto seco" e também do inoperancia do aeroporto Regional!!!
Queria ver qual seria a resposta certa... ( uma das questões era, "De quem é a responsabilidade"?
Eu gostaria mesmo que você repensasse essa sua decisão...
Mas eu entendo o quanto deve ser difícil para você, sozinho nessa batalha!
A luta continua!!
Grande Abraço,
Guilherme Carvalho

Carlão disse...

Ponto para os ambientalistas.As obras da BR44o foram paralisadas por ordem do TCU.Mais um elefante branco para nossa cidade,que ja tem o aeroporto regional,o centro de convenções,o estadio regional,e as inumeras obras prometidas que só o papai do ceu sabe se vai sair ou não.Enquanto isso,Uberlandia,Montes Claros,Governador Valadares,Ipatinga,Uba,etc somem na frente de Juiz de Fora em relação a tudo.Juiz de Fora caminha a passos largos para virar uma especie de baixada fluminense.Ou os politicos assumem a responsabilidade e se unem a favor de nossa cidade,ou nem os ambientalistas vão querer ficar por aqui num futuro não tão distante.