quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Prevenir é sempre melhor

Está sendo atribuída a iniciativas de natureza preventiva a redução de alguns tipos de crime na zona central da cidade. É apenas uma região, um setor da comunidade, mas o dado é suficiente para permitir breve reflexão sobre a importância das ações que se antecipam aos problemas e, em muitos casos, conseguem reduzi-los ou mesmo eliminá-los. No caso em tela, a polícia tem chegado antes do criminoso, e ele sabe que, persistindo em seu intento, estará fadado ao fracasso. Se a cidade cresce e a segurança cresce também, ainda que distante do desejável, muito bem.
Falando-se em ações que se antecipam aos problemas, lembro-me logo, ao lado da segurança pública, de outra questão que expus aqui na conversa diária com os leitores. É a saúde, que, sendo objeto de políticas preventivas, seguramente oferece resultados bem positivos. A solução chega antes da enfermidade. Nesse particular, não falo apenas das iniciativas governamentais, mas dos cuidados que cada pessoa deve assumir em sua própria defesa. É costume consagrado a gente só atentar para a saúde quando estamos na iminência de perdê-la. Também aí pecamos por ignorar a educação antecedente, o que, aliás, acaba concorrendo para outro grave desvio: os poderes públicos têm sido levados a investir mais na doença do que na saúde.
Depois de dizer tudo isto, ainda posso chegar a uma questão mais significativa, já que estamos tratando da importância da capacidade pessoal e coletiva de prevenir. De fato, se ela é importante na segurança pública e na saúde, o que dizer então da política? Tivéssemos mais cuidado no momento de escolher nossos dirigentes, fôssemos mais rigorosos na avaliação de seus méritos e deficiências - enfim, promovêssemos uma ação de cuidados antecipados, evitando que os maus chegassem ao poder, o Brasil, com certeza, estaria em outros caminhos.

17 comentários:

Gil disse...

Professor, boa noite!

Enquanto muitos estão dormindo, a fila cresce nos postos de saúde e nas emergências de hospitais. Crianças chorando de um lado, mães do outro, rostos impacientes e mais pessoas chegando. Ansiosas para solucionar seu problema de saúde, elas esperam.

A cena acima pode ser de qualquer cidade brasileira, inclusive Juiz de Fora. Algumas cidades têm conseguido mudar este panorama com plano consistente de prevenção que não tem nada de "milagroso", Saúde da Família.

Em Juiz de Fora na gestão anterior este sério programa foi relegado à função nada nobre de cabide de empregos de amigos da administração, a maioria dos agentes sabia muito menos que a população que tinham de servir.
Criado no Brasil pelo Ministério da Saúde desde 1994, o PSF surgiu com a finalidade de reeducar as famílias a respeito de cuidados com a saúde, ou seja, ensiná-las que devem tratar-se antes da doença surgir, já que quando isso acontece algumas vezes o tratamento pode não ter um resultado satisfatório. Para o funcionamento do PSF é preciso um posto de saúde direcionado especialmente para os pacientes do programa. Tudo começa com as visitas dos agentes de saúde, profissionais treinados que é a ponte entre o posto e a comunidade. Cada um deles é responsável em média por 160 famílias por mês. Os agentes só podem trabalhar no bairro onde moram e a função deles é ir às casas dos moradores do bairro, explicar o que é o programa, ouvir as queixas da comunidade, fazer um relatório detalhado sobre a visita e passar para os profissionais responsáveis (médicos, dentistas e enfermeiros) que analisam a melhor forma de atendimento.

Onde este programa de prevenção realmente funciona fez com que a superlotação nas emergências de postos de saúde e hospitais diminuísse, pois, quando as pessoas aprendem a se cuidar, as complicações demoram de aparecer.

Tudo de bom!
GIL

Anônimo disse...

Não creio que planos preventivos resolva em 5 % as questões de saude em JF.

O povo está quebrado, sem dinheiro, fudido e com fome. Mil HOSPITAIS NÃO RESOLVE A SITUAÇÃO CAÓTICA DE JUIZ DE FORA.

A situação de JF depende de um plano de reversão total dos gastos publicos, de um plano sério de geração de empregos, de reforma nas intituições cabideiras de empregos para pelegos e cabos eleitorais, e na seriedade não existente em nossos dirigentes.

Povinho, acordaaaaaaa !!!!!!

Plantonista de Hospital !

Roberto disse...

Quem tem competência, não precisa de ficar implorando emprego:
Painel - Tribuna

Cláudio na pauta

Quando voltar de férias, o governador Aécio Neves terá sobre sua mesa um pedido de indicação do engenheiro Cláudio Horta para um posto no primeiro escalão. Na segunda-feira, o vice-governador, Antônio Anastasia, recebeu o deputado Luiz Fernando Faria para tratar do assunto. O prefeito Custódio Mattos, que também esteve com o vice na semana passada, teria tratado da mesma demanda. Horta não disputou a eleição a pedido do deputado.


Não disputou por absoluta incompetÊncia e falta de peito.
POr que quem quer, vai lá e luta.
Pobre cidade, em que os candidatos a candidato, são desempregados.
Eu queria ver o discurso dele.
Pois se não é capaz de se empregar sozinho, como iria resolver o problema do desemprego na cidade.

Mas a solução pro desempregado Cláudio é sem dúvida nenhuma o Omar Peres.

Responsavel pelo ressurgimento da indústria naval no Brasil, Omar gerou mais de 10.000 empregos. Isso sozinho.
Ao contrário de ficar esmolando colocação com o governador, esse cidadão devia pedir emprego pro Omar.
Quem sabe não rola uma vaguinha na
Panorama, e ele sai da penuria de não ver cumpridas as mentiras que lhe fizeram "desistir" da cadeira de prefeito.
Só tem um probleminha:
Com o Omar ele vai ter que trabalhar de verdade.

Roberto disse...

Ainda o desastre "Douglas Fazzolato"

painel - Tribuna

Douglas confirmado

O Diário Oficial do Município publica hoje a indicação do pesquisador Douglas Fazolatto para a direção da Fundação Museu Mariano Procópio, resultado de uma lista tríplice, que tinha o também jornalista Ismair Zaghetto e o arquiteto Antônio Carlos Duarte. Ele sucede o ex-prefeito Francisco Antônio de Mello Reis, a quem, como o Painel antecipou, visitou na véspera. Colunista social desde 1986, vai exercer o seu primeiro cargo de gestão pública.

Visita a Mello

Articulado pelo secretário de Administração, Vítor Valverde, o encontro de Fazolatto com o antigo gestor, Mello Reis, ocorreu na noite de terça-feira. Ontem, pela manhã, uma fonte revelou que a conversa foi boa, embora tenha deixado claro - sem dizer - que o ex-prefeito ficou aborrecido com o processo. Nada contra o indicado, mas com a forma de preenchimento da lista elaborada pelo Conselho de Amigos do Museu.

Ao invés de ficar fazendo lambança na Administração municipal, o prefeito Custódiop ILegal de Mattos devia era cumprir suas promessas de campanha, como por exmplo arrumar um empreguinho pro Claudio Horta - desempregado e na total penúria, ele está deseperado pois além de não ter competência pra ser prefeito, descobriu que não tem capacidade nem pra arrumar emprego de gari (sem a particiapção de padrinhos)

É como disse o Omar Peres em um de seus artigos no ano passado, antes das eleições:
Cláudio Horta seria um bom vice.
Apostou mal e se f...

Roberto disse...

alo CR

Olha pro seu rabo antes de malhar os outros:

Dose dupla no BBB

Além da cantora Josy Oliveira, o Big Brother 9 teve, anteontem, mais um juizforano em destaque.
Antes de divulgar o participante eliminado no paredão, Pedro Bial citou palavras do célebre escritor Pedro Nava: “A experiência é um carro com os faróis voltados para trás.”
Apesar de duras críticas pelas constantes “verborragias”, desta vez o apresentador global acertou em cheio ao destacar o memorialista mineiro.

O Pedro Bial perdeu o sono devido a essa "notinha".
Qual a difernça entre verborrágia e abobrinha.
Pois é só isso que a gente encontra na profícua "horta do Cabelim".
Além é claro do Diário da Turma do Bom Pastor e das 'emocionantes" matérias pagas.

ROGERIO DE MORAES disse...

RAUL SEIXAS JÁ DIZIA:

QUEM NÃO TEM COLIRIO - USA ÓCULOS ESCUROS.
MINHA VÓ JÁ ME DIZIA PRA EU SAIR SEM ME MOLHAR...

Anônimo disse...

Quem é Claudio Horta?

Anônimo disse...

Esse se deu mal.
Acreditou no Custódio, no Luiz Fernando e agora precisa do Aécio.

Acho melhor èle ir correndo pro Sine.

metalúrgicos unidos jamais ... disse...

Não sei por que o espanto, afinal o homem não estava acostumado a mexer com ferro.
Agora ele deve estar vendo como é bom ser desempregado.

Chico disse...

O bejani tem vaga pra lavador de carros lá no Center car.
Será que que não dá jogo?

Anônimo disse...

Pede uma colocação no Tupi pra ele.
Aposto que o Áureo quebra o galho.

Anônimo disse...

O que o Sr Rogério de Moraes quis dizer com essa asneira.

Anônimo disse...

Ainda sobre o Tupi,as noticias referentes ao nosso Galo e de causar arrepios.Esse Aureo Fortuna,a quem eu depositava uma certa esperança no comando do clube,provou que não serve nem para ser sindico de edificio de quinta categoria.Agora vem o Baeta querer comprar patrimonio do Tupi.Fico imaginando,Atletico compra a Toca da Raposa.Seria guerra declarada em BH.Omar,a saida para o nosso Galo e voce voltar com urgencia,urgentissima ao comando do Galo.Mais imploro,sem qualquer participação do Juninho.Nem como conselheiro,nem como dirigente e nem como torcedor.Se bem que torcedor ele ja provou que nunca foi,e so ver a lambança que o cidadão fez quando estava a frente do Tupi.Salvem o Galo.A ultima do Aureo caso o Mario Helenio fosse interditado,seria que o jogo contra o Atletico fosse no Mineirão.Ja avisaram ao presidente que o Mineirão e a CASA do adversario.Me tira o tubo.

Anônimo disse...

Prezado Omar,
como não tenho outro meio para lhe acessar, pois, afinal de contas, não posso me identificar, sob pena de sofrer retaliações políticas por parte daqueles que estão no poder, gostaria apenas de lhe dizer que esperava mais da sua coluna Boca do Povo. Obviamente que não se pode correr o risco de ser um falastrão. Mas, você tem boas e seguras fontes e é o único capaz de colocar uma barra nos desmandos que acontecem nessa cidade, pois, como se sabe, Prefeitura e Câmara, Todinho e Bruninho, estão de conluio, são farinha do mesmo saco. Noutro dia mesmo lhe escrevi sobre a Lei, sancionada pela Prefeitura, que reduz o ISS para empresas gráficas e que beneficia diretamente seus concorrentes na área da comunicação. Isso não daria uma boa discussão. Quanto é que a sua empresa paga de ISS? Por que algumas empresas recebem esse privilégio? Bem, é sabido que, dentro da sua organização, o órgão mais temido é a TV. Não precisamos nem discutir esse mérito. A rádio, fizeram o favor de lhe "roubar", coloquemos assim. Não lhe conheço bem, conheço pouco, ouço falar algumas coisas, mas minha intuição e suas ações reforçam minha convicção de que você é a única voz que não se calará por detrás das montanhas de Minas. E isso, Omar, não é um elogio. É uma esperança. Gostaria de poder manter um diálogo com Você, mas, como já disse, tenho medo das represálias. Hoje, na sua coluna, você fala sobre a mágoa de José Eduardo (ex-prefeito) a respeito das declarações sobre a dívida da Prefeitura. Não tenho conhecimento de causa, mas sei que as coisas não são como foram colocadas. Me espanta a péssima qualidade dos jornalistas que se incumbiram da matéria. Na verdade, funcionaram apenas como assessores de imprensa da Prefeitura. Sim, em momento algum há detalhes sobre a dívida. Por exemplo, se José Eduardo deixou restos a pagar, mas com empenho e dinheiro para cumprir esses compromissos, isso não pode ser arrolado na dívida. E o INSS? Será que está no meio do montante. Mas desde quando vem essa dívida. Será que é só da administração da famigerado inominável ou será que ainda remonta ao prefeito Tarcísio Delgado? Péssimos jornalistas, talvez mais inexperientes ou preguiçosos ou desconhecedores da dinâmica do processo de administração pública. Bem, como lhe pedi anteriormente, não quero que esse comentário seja publicado. É apenas uma forma de manter com você um diálogo(?)e levantar pontos de reflexão que não podem ser enfocados por simples mortais como eu, principalmente na minha condição. Espero que leve minhas palavras em consideração. Desejo-lhe, como é de sua natureza, muito trabalho e muita batalha. Se quiser falar comigo, poste algum comentário que me dê a entender que devo seguir nessa direção. Grande abraço.

Anônimo disse...

A doença política.

Muito se tem falado, muito se tem debatido, muito se tem investigado sobre a situação caótica, quase um coma, uma letargia, em que se encontra a política brasileira.

A apostasia (doença crônica em Jixdifora) - cargos políticos versus cidadãos - é, no caso dos municípios mineiros, fruto de um trabalho consciente, constante e frutífero.

Ao falarmos da ingenuidade da população ao escolher os seus dirigentes, transferimos, mais uma vez, a culpa pela incompetência aos mais carentes - falo aqui de carência alimentar, carência cultural, carência educacional e carência religiosa.

Nosso mentor de debates, Omar Peres, sabe mais do que ninguém o que eu estou falando. Se somássemos os votos do primeiro turno de Omar Peres e Margarida Salomão, um empresário e uma intelectual, veríamos que a sociedade "jizxforna" quer realmente a mudança.

No entanto, Omar Peres, além de enfrentar Custódio Mattos, teve que enfrentar forças ocultas, muitas das quais, emergiam de Belo Horizonte, outras, muito mais danosas, apareciam como vultos de interpretação do judiciário local.

Já em fins do primeiro turno, Custódio garantia em seus programas que se fosse para o segundo turno ganharia a eleição.
Como continuar seguro após ser massacrado intelectualmente, verbalmente, politicamente, socialmente e moralmente em rede local? De onde vinha tanta segurança?

É claro que a segurança vinha das forças ocultas que emergiam de BH e que emergem de JF. Porém, no segundo turno, covardemente, teria que voltar toda sua munição, que não era pouca, para uma só pessoa - independente de quem fosse.

Início de segundo turno, Tarcísio Delgado, que já é carta fora do baralho na política local, hesitou até o último momento em apoiar Margarida. Já os Delgadinhos, que sempre agem por debaixo dos panos e que sempre estiveram ao lado de Bejani, pularam de cabeça na campanha de Custódio.

Bejani, espécie que transita entre o bode expiatório - todos querem ser éticos se comparados a ele, e cachorro morto - todos chutam com vontade para mostrar intolerância com o politiquete, citou que seu voto seria feminino, o que ninguém percebeu é que o ex-prefeito tem um lado irônico acentuado, pois, ao falar de voto feminino se referia ao Custódio, que acusa Margarida daquilo que todo mundo suspeita dele.

Pronto, prato cheio para o mensaleiro espalhar mais mentiras contra sua adversária. Mentiras que o judiciário teimava em não ver, ou em não ouvir, obviamente que por motivos eleitoreiros, pois, qualquer careta que se fizesse para o todinho a mamãe justiça já vinha como um cachorro bravo e raivoso em cima dos opositores.

Fim do primeiro ato: Custódio eleito; amigos do Custódio empregados; firmas prestadoras de serviços mantidas; contratos suspeitos mantidos; corte de verba mantido; aumento do IPTU mantido; educação e saúde precárias mantidas. Moral do final do primeiro ato: Custódio manteve tudo o que BEJANI construiu. Ou seja, BEJANI só foi expulso porque não fazia parte do grupinho de coronéis, ou porque queria roubar sozinho, pois todos apóiam seu método de governo.

Inicio do segundo ato: Custódio ganha, mas não leva! Custódio fez de desfez em uma época em que não havia internet, não havia lei de responsabilidade fiscal e o polícia federal só prendia quem lhe era permitido. Hoje, de panelas e palavras em punho, a população não admite mais a "velha malandragem" - verdadeira doença política brasileira!

Lucas Silva disse...

COLUNA WILSON CID DE 29/01/09 NO JF HOJE:

Participação
Antes do carnaval, ao que consta, o PSB vai querer definir sua participação na administração
municipal, tendo como credencial
o apoio que deu à candidatura de
Custódio, via deputado Júlio Delgado. Os socialistas alegam que o PMDB, só em parte aderiu ao candidato do PSDB, e ocupa cargos, além de poder dar o líder na Câmara,Sóter Figueirôa. As mesmas expectativas estão no PP, que
tem nomes, mas inviáveis. O Impasse deve trazer a Juiz de Fora, nos próximos dias, o deputado Luiz Fernando Faria, que fala em nome do partido na região.


COMENTÁRIO:

O PSB não apoiou Custódio, Juraci Scheiffer gravou inclusive depoimento para Margarida. O Deputado Júlio já foi contemplado com a nomeação do Canalli como subsecretário e mais alguns cargos.

O PP já foi atendido nas indicações que fez ao Custódio, nomeando 2 cargos no segundo escalão e mais chefias de departamento.

Pelo que consta, são os demais Partidos que ficaram de fora que estão muito insatisfeitos.

A mega coligação que elegeu Custódio Mattos teve os Partidos (PSDB - DEM -PP -PDT -PSDC -PTC -PRB -PPS - PMN - PSL - PR).

Custódio Mattos teria prometido um governo de coalisão, com a participação dessas legendas.

Porém, a união tão pregada pelo então candidato trasnformou-se em traição.

Dos agraciados somente os apadrinhados (os amarras-cachorro) de Sebastião Helvécio, de Luiz Fernando Faria, do Edmar Moreira, Romilton Faria, sem esquecer a turma do Bom Pastor.

Caso mais visível é o desprestígio do PPS de João Vítor Garcia e do PR do ex-prefeito José Eduardo, que com grande tempo de TV, foram literalmente rifados e esquecidos. Quem mandou não coligarem com Margarida Salomão????

Além desses, todos os nanicos que foram alaidos de primeira hora também sobraram.

PARECE QUE UNIÃO NO DICIONÁRIO TUCANO SIGNIFICA TRAIÇÃO.

UNIÃO = TRAIÇÃO

HÁ....HÁ...HÁ...HÁ...HÁ...HÁ

Anônimo disse...

Caro povo de jf
Não sou adivinho e nem quero ser mas pelo alto numero de larvas do mosquito da dengue encontrado pela vigilancia sanitaria se preparem pois qundo o sol sair com força vai ser uma festa, alem do custodio agora tambem teremos q lidar com a dengue e enquanto isso nosso querido bejani ta la vendendo carro.