terça-feira, 15 de setembro de 2009

"OS INVESTIMENTOS MINEIROS NO ESTADO DO RIO"

É um absoluto sucesso a política de atração de investimentos industriais implementada pelo governador do Rio, Sérgio Cabral. Para comprovar seus resultados, basta sair de Juiz de Fora, e atravessar a divisa dos estados do Rio e Minas, e, já mesmo antes de Três Rios, começarmos a ver diversas grandiosas obras de novas fábricas, novas plantas industrias.

Esse sucesso é fruto de dois fatores: combinação de "agressividade fiscal" (em geral alíquota de ICMS diferenciadas de Minas) com "agressividade política” (determinação em criação de riquezas).

Para atingir tal objetivo, isto é, conseguir novos investimentos para a economia fluminense, Sérgio Cabral, quase como uma obsessão, recebe e convida, permanentemente, empresários para conhecerem sua política fiscal, e assim terem certeza que farão um bom investimento no estado do Rio de Janeiro.

Essa informação, essa prática política, me foi passada por um amigo, que faz parte do primeiro escalão do governador fluminense. Mas não é preciso ter amigo lá para se saber de tudo isso. Basta ler os jornais, e observar que Cabral está sempre discutindo novos investimentos com empresas.

Exemplo? A nova siderúrgica que foi construída em Itaguaí (com capital até mesmo da Usiminas), fruto do trabalho politico de Sérgio Cabral. Poderia ter vindo para Juiz de Fora, para Minas, sim senhor! E tantos e tantos outros novos empreendimentos que poderiam ter vindo para nossa terra, mas, infelizmente, por falta de vontade política, foram para a BR-040, em território fluminense, na nossa cara! Uma vergonha!

Pior que assistir à criação de riquezas em nosso "quintal", é saber que nada está sendo feito para a reversão dessa falta de política que nos faz perder empregos, riquezas e, sobretudo, perder esperança. Desafio qualquer pessoa a me dizer qual foi o grande investimento industrial realizado em Juiz de Fora nos oito últimos anos.

A única coisa que vi foi a distribuição de ambulâncias pelo governador no abandonado Centro de Convenções de Juiz de Fora...

É na falta de politicas públicas indutoras de desenvolvimento que encontramos explicações para o fato de, nos últimos 25 anos, nossa região ter obtido o pior índice de crescimento econômico em todo o Estado de Minas! Uma vergonha. E nada se faz! Salvo demagogia e discursos vazios.

E enquanto se discute, depois de oito anos de pista e estrutura toda pronta, como "se tira o morro que acabam de ser descoberto" na cabeceira do aeroporto de Goianá, e que impede o início das operações , do outro lado da divisa, a menos de 50 km da gente, Sérgio Cabral prepara os terrenos e mostra os novos pátios industriais em construção do Rio.

Para atrair esses investimentos, Cabral não sai do BNDES, a grande fonte de empresas que querem investir, que vão investir. Atraindo-as, o governador fluminense distribui empregos e renda, no lugar de ambulâncias para transportar nossos enfermos, em grande maioria, doentes exatamente por falta de emprego e renda!

A ortodoxia fiscal do governo estadual vai continuar impedindo novos investimentos em Minas Gerais. Pior que não recebê-los é não lutar por eles. E ninguém - é inacreditável! - grita pela Zona da Mata, muito menos por Juiz de Fora. Onde estão nossos deputados?

Desastre! Essa é a única palavra que consigo encontrar para enquadrar a política (a falta dela) do governo de Minas com relação ao que está acontecendo com a economia da região. Ano que vem teremos eleições. O empobrecimento da Mata será um grande tema para debate. Vamos aguardar esse momento para ver o que o candidato do Palácio da Liberdade terá para nos dizer. Quem sabe ele distribui mais algumas ambulâncias...

29 comentários:

Roberto disse...

OLHEM SÓ A CARA DO PAU TUCANA, OU MELHOR SERIA DIZER BICO DE PAU?

Um pacto de incentivo para JF e região"


O secretário de Planejamento e Desenvolvimento Econômico, o economista André Zuchi, tem ficado no centro das principais polêmicas discussões de interesse dos juizforanos nas últimas semanas. No mês passado, a guerra fiscal e os efeitos devastadores para a economia da Zona da Mata, reconhecidamente em queda, foram debatidos junto ao Governo do estado, de quem se espera ações concretizadas no sentido de atrair empresas e manter as já existentes na cidade e na região. O secretário reafirmou a perda constante de negócios, a dificuldade para atração de outros, o entrave que representa a falta de áreas industriais e a ameaça dos empresários que barganham melhores condições fiscais. Por outro lado, destacou as negociações com uma empresa de grande porte, capaz de gerar 500 empregos diretos. “A gente já fez o dever de casa”, salientou, ao explicar que o município assegurou benefícios fiscais. Para o futuro, o secretário concentra suas apostas na concretização do shopping e do restaurante populares, a plena operação do Aeroporto Regional da Zona da Mata e a revitalização do Serrinha


VIU COMO VC NÃO ENTENDE NADA DE JUIZ DE FORA.
ELES ESTÃO SE MAXENDO SIM, O PROBLEMA É QUE ELES ANDAM A PASSOS DE CÁGADO CAGADO.
SÓ PRA RESOLVER PROBLEMAS DA CIDADE.
POR QUE PRA ROUBAR, CORROMPER, ENGANAR, ENROLAR, SACANEAR, DISSIMULAR, E FAZZER MUTRETA E CAMBALACHO, ELES SÃO UNS VERDAADEIROS USAIN BOLT.
OU MELHOR SERIA DIZER UMA CAMBADA DE FERNANDINHOS BEIRA MAR.

Roberto disse...

O AÉCIO EM CAMPANHA DO CUSTÓDIO PROMETEU MUINDOS E FUNDOS
AGORA SÓ NOS RESTA O FUNDO, DO POÇO:

Tribuna - A Prefeitura, em parceria com UFJF e Fiemg, apresentou, no último dia 28, ao Estado estudos sobre os efeitos da guerra fiscal para Juiz de Fora e região. Como foi a resposta do Governo?
- André Zuchi - Provocamos uma reunião com o secretário de Desenvolvimento Econômico, Sérgio Barroso, para colocar a situação da Zona da Mata, que vem empobrecendo. O PIB foi o que menos cresceu no Estado, se comparado com o do Brasil. A situação é ruim. Barroso foi muito receptivo ao diagnóstico. O estudo mostrou que a região vem em um processo de decadência há décadas. A Lei Rosinha é como se fosse a gota d’água, acelerou o processo. A lei criou uma condição fiscal na nossa vizinhança, atraindo as empresas por meio de um conjunto fiscal em que é possível optar por ICMS de 2% sobre o faturamento, ao passo que, em Minas, as alíquotas variam entre 12% e 18%. Isso causou muito problema. No fundo, hoje, a lei estadual nos protege, podemos recorrer à chamada salvaguarda. Uma empresa pode pedir ao Estado uma proteção contra essa política do Rio de Janeiro. Só que isso é um processo lento, tem que entrar com o pedido, esperar o Instituto de Desenvolvimento Integrado de Minas Gerais e a Secretaria da Fazenda analisarem. O nosso pedido é para criar uma condição aqui, um pacto de incentivo para esta região.


PEDIR É COISA DE FRACO.
QUEM TEM MORAL VAI E EXIGE.

Rogério de Moraes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

NAO SEI ATE QUE PONTO ESSE GOVERNADOR (AECIO) TEM FORÇA. É UM TREMENDO MARQUETEIRO. OMAR, ELE (O GOVERNADOR) GOSTA É DO RIO DE JANEIRO QUEM SABE ELE ESTA AJUDANDO O CABRAL? QUERO VER ELE ENCARAR A DILMA , VAI SER UM CHOCOLATE.

Anônimo disse...

Todas as vezes que viajo para o Rio
de Janeiro ou para o Estwado do Rio, ou mesmo São Paulo, tenho observado o que V.Sa. está relatando e tudo acontece não só pela agressividade do Governador do Estado do Rio e pelas conversas que temos com alguns moradores daquele Estado, os senhores Prefeitos de lá também oferecem a quam pretende se instalar lá, terrenos de graça, isenção de impostos e até outras vantagens apesar do território de lá ser menor do que o Estado de Minas, ouve-se dizer que a maioria das Indústrias de Minas que se tranferem daqui é gerada pela cobrança exorbitante de impostos e,principalmente pela ganância do nosso Estado para ferras tudo e todos, isso é o que dá um povo que
não sabe escolher seus governates,então dizem que o Estado do Rio é mais politizado que
quaisquer outros Estado da Federação, aí está a diferença.
A continuar da forma que o nosso Estado está sendo conduzido, dentro
de mais alguns anos terão que aumentar o ICMS para 30% ou estão teremos em brave um total esvaziamento em nosso Estado. Abram os olhos mineiros, o caos está se aproximando de nós.

Anônimo disse...

A FRAGILIDADE DA URNA ELETRÔNICA
(Osvaldo Maneschy)

Teria sido fraudada pelo mensaleiro?

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE), numa jogada de marketing, está anunciando aos quatro ventos que em novembro próximo vai permitir que hackers tentem quebrar os códigos de segurança das urnas eletrônicas em uso no país – mas sob a condição de que trabalhem sob a supervisão do próprio TSE e, também, que se inscrevam antes para fazer o teste. Ou seja, mostrem a sua cara.
O desafio tem uma razão – os controladores do sistema eleitoral brasileiro querem provar que ele continua 100% seguro, embora especialistas independentes em informática garantam o contrário e continuem exigindo a impressão do voto eletrônico, apelo que a sociedade começa a ouvir.
Hackers, piratas cibernéticos, nunca mostram suas caras e ferramentas de trabalho porque trabalham na ilegalidade.
Por isso quando o TSE anuncia que a urna eletrônica está à disposição de hackers – o que faz, na prática, é marketing porque exige de que quem quiser quebrar as normas de segurança da urna precisa, antes, mostrar como vai agir e ter seus passos aprovados pelo TSE, além de mostrar sua cara – o que é até compreensível, mas não funciona.
O teste proposto pelo TSE não é sério também porque pirata algum, nem os de Walt Disney, vão se apresentar no balcão do TSE com carteira de identidade e CPF para se fazer jus aos “prêmios” ofertados pela Justiça Eleitoral para quem quebrar a segurança da urna, que vão de dois a cinco mil reais.
Invasão de sistemas é prática de segurança consagrada no mundo da informática, onde é conhecida como “teste de penetração”.
A única defesa contra isso é um sistema adicional de segurança, mecânico, independente do software da máquina: a impressão que materializa o voto em papel e torna possível a recontagem posterior do total eletrônico.
O que o TSE quer de verdade é enganar incautos e “provar” que a urna é segura. Como se hackers fossem bobos e aceitassem jogo combinado.
Os argumentos do TSE de que a urna eletrônica brasileira produz o Registro Digital de Voto (RDV), além de imprimir o Boletim de Urna (BU) ao final da votação, não garante a lisura do processo. Porque tanto o RDV quanto o BU dependem do software que está dentro da máquina e se ele for alterado, automaticamente o RDV e o BU também serão corrompidos.
Quem fez essa afirmação no Senado foi o professor Jorge Stolfi, do Departamento de Ciência da Computação da Unicamp, um dos críticos da urna brasileira do jeito que ela é.
Em termos de voto eletrônico, o sistema mais confiável e seguro é o que emprega uma máquina para imprimir o voto em papel que é conferido pelo eleitor e outra só para escanear e totalizar, eletronicamente, o voto – guardado para posterior recontagem.
Esse é o motivo real que levou o TSE a anunciar que em novembro vai fazer o teste de “segurança”: está por um fio a falácia de que a urna brasileira é 100% segura sem imprimir o voto.

Márcio disse...

O nosso empobrecimento é consequência da qualidade e capacidade dos que pleitearam e usufruiram de suas eleições. O velho ditado : "Você colhe o que planta" , é nossa herança. Juiz de Fora há muito se transformou no berço de políticos vagabundos, incompetentes, aliciadores, corruptos e que tem a visão empreededora nos dias de hoje do tamanho de uma noz. Falta a Juiz de Fora um administrador, empreendedor de espírito público, focado no bem comum, um competente negociador, enfim , um administrador nato e sadio físico e mentalmete. Cidade composta de classe política de ações meramente egoístas, má intencionada, aproveitadora, incompetente e de come e dorme. Um povo (infelizmente maioria), também sem iniciativa e interesse no seu próprio desenvolvimento, elegendo políticos "cançados" que já deram (pouco) o que tinham para dar,os de "ações" no mínimo nebulosas, mas, o que mais incomoda é que todos foram reeleitos, quer dizer,
"gambá cheirando gambá", isso mesmo, ELES NÃO SERVEM, MAS QUEM NÃO PRESTA É POVO DESTA(MINHA) CIDADE.

Thiago Dias disse...

A cada dia que passa o cidadão brasileiro se torna mais refém.Injustiças são praticadas e o cidadão se vê obrigado a aceitar tudo o que o país impõe.È lamentável assistir-mos a fatos inaceitáveis e nos sentir-mos impotentes perante os fatos.Vivemos uma das maiores crises de todos os tempos no setor da saúde,onde milhões de Brasileiro dependentes do SUS- Sistema Único de Saúde chegam a aguardar até 6 meses na fila de espera por uma consulta médica especializada.Sem falar do tempo que se espera por um exame ou cirurgia,que chega a atingir mais de 2 anos de espera.Enquanto isso nosso Excelentíssimo Presidente da República negocia BILHÕES de reais com a França para a aquisição de Submarinos e Aviões para reforçar nossa defesa sob a alegação de nossa frota estar ultrapassada.Mas para que mesmo serve nosso exército?Acredito que somente para tirar verbas dos setores que realmente necessitam de renovação como é o caso do SUS.Enquanto no Exército Brasileiro um médico ganha um salário exorbitante um médico do SUS chega a receber até 3 vezes menos e trabalhar 3 vezes mais,pelo fato de a jornada de trabalho das forças armadas ser de 6 horas/dia.È humilhante um cidadão que paga seus impostos em dia ser obrigado a esperar horas na fila de um médico em um Pronto Socorro e ser mal tratado para ser atendido por um profissional de saúde.Mas vivemos em um país onde a popularidade do presidente chega a 65% e tudo parece ser perfeito aos olhos da mídia.Um governo onde surgiram escândalos como o mensalão e os atos secretos,sem falar em Ricardo Berzoini,Palocci,Edmar Moreira e seu castelo de milhões de reais,sua frota de carros antigos tudo conquistado de forma contestável.Está na hora da população abrir os olhos e cobrar todos os seus direitos.O Supremo Tribunal Federal acaba de arquivar um processo de cassação de mandatos de políticos envolvidos nos atos secretos,o que é um Absurdo!Somos vítimas de uma sociedade capitalista e do coronelismo praticado neste país.A família Sarney manda no estado do Maranhão,e por sua vez Fernando Collor domina o estado de Alagoas,sem falar na famosa família Magalhães,donos da Bahia.Basta,até quando a Sociedade será vítima do sistema político brasileiro?Existe uma constituição neste país que foi formulada em 1988 e está ultrapassada,sem falar que todo seu conteúdo somente é interpretado para favorecer políticos e pessoas influentes deste país.Milhões de Reais são desviados dos cofres públicos,ou seja,dos nossos bolsos e a sociedade se mostra passiva diante dos fatos.Enquanto aceitar-mos o presidente do país apoiando um homem de conduta contestada chamado José Sarney,entenderemos que não há respeito para com o cidadão brasileiro.O Presidente é obrigado a aceitar um senador corrupto a frente da casa em troca de sigilo político,pois Sarney sabe de muitas coisas que abalariam o governo.O país necessita de investimentos em saúde e segurança pública,não de caças de última geração e de submarinos.O povo Brasileiro necessita de Saúde e Educação,que são a base de uma sociedade sustentável,e o alicerce de um país crescente.

Tenho Vergonha de ser Brasileiro...


Thiago Dias

JC disse...

Todo este descaso pode ser uma retaliação por termos sido a cidade mais industrializada de minas gerais, como conta o texto "a capital controversa" no site http://www.siaapm.cultura.mg.gov.br/acervo/rapm_pdf/A_capital_controversa.PDF
Que pena, Juiz de Fora pensou um dia que ser do terceiro setor trouxesse riqueza, mas, esqueceu que o que gera riqueza são os setores produtivos de riqueza, ou seja, o primeiro e segundo setores. bons tempos aqueles quando se implantavam industrias e suas ampliações que geravam empregos e renda. aproveitavam mão de obra do CTU, do SENAI (quando este ainda era fator de ascenção social pelo trabalho, quantos filhos de familia pobre puderam ter uma profissão para seu crescimento social, como ocorreu comigo). Agora, depende de nós escolhermos bons representantes para voltarmos a crescer, mas, eu pergunto: QUEM SÃO ESTES BONS REPRESENTANTES? dizem que politico bom nasce morto? Vou continuar exercendo meu dever de cidadão e votarei em alguem que eu julgue digno de receber meu voto, mas, confesso, está cada vez mais dificil de escolher. A região precisa urgentemente de uma politica de investimentos industriais geradores de emprego, geradores de riqueza, e que contribuam para aumentar o PIB da cidade, estado e consequente mente do pais, coisa que o emprego publico e muitos setores de serviços não o fazem. Industrias já

Anônimo disse...

OMAR, VENHA CANDIDATO A FEDERAL PRA JUIZ DE FORA CONHECER TODA A SUA HISTORIA E ACABAR DE VEZ COM ESSA ARROGANCIA SUA. VOCE NAO PASSA DE UMA FARSA!

Márcio disse...

Desculpem, quando fiz um retrato político da cidade, é para mostrar que independentemente de qual seja a política do governo de minas, a cidade precisa de quem trabalhe e "corra" atrás, há investimentos, como disse o Roberto, pedir é coisa de fraco, quem tem moral vai e exige.
É na moral e credibiliade que o bicho pega. "Administrar" recursos próprios, é guarita para justificar o ócio.

Luiz Valle disse...

A PIADA DO ANO!!!!! só no Brasil mesmo que isso é possivel!!!!

O deputado Edmar Moreira (PR-MG) move na Justiça de Minas Gerais 44 processos em que cobra de vários órgãos de imprensa, locais e nacionais, indenização por danos morais.

Além de jornais regionais e segmentados, como o "Estado de Minas", "O Tempo" e a "Folha Universal", o deputado aciona jornais e revistas de circulação nacional, como a Folha, "O Estado de S. Paulo", "O Globo", "Veja" e "IstoÉ", TVs --"Band", "SBT" e "Record"--, o site UOL (ligado ao Grupo Folha), jornalistas e apresentadores, entre eles José Luiz Datena, Jô Soares, Marcelo Tas e Hebe Camargo.

O cara escapa de ser cassado graças ao "circo" que são essas comissões na camara e senado e ainda se acha vitimado pelos jornalistas!!!!! Vai se catar Edmar!!!!!!

Anônimo disse...

Para o internaut que chama sr. Omar de arrogante e insinua a vida privada.
Acredito que nada seja sobre arrogância, mas uma questão de berço. Sr. é pessoa que nasceu na riqueza, no interior, mas na riqueza, sempre teve acesso as coisas variadas da vida farta, estudou nos melhores colégios da europa, viveu anos em Nova York, nem se pode dizer que seja cidadão brasileiro e sim do mundo. Viaja para a europa como se estivesse viajando de juiz de fora para ewbankc da cãmara. Cada dia come em uma cidade internacional, anda nos melhores restaurantes do Rio, tem tantas casas que deve ser difícil visitá-las durante o ano. Tem um arsenal de empregados, seguranças, e uma conta bancária extensa.
Isso não é arrogância, é outra esfera social, outro mundo, outro contexto. Não sei o quanto ele deve entender das injustiças sociais, da miséria que o capitalismo selvagem imprime nas sociedades, e o que pensa sobre humanos servindo como escravos sociais a outros humanos. O que ele pensa das diferenças de classes.
Acho difícil ele ter tempo e compreensão dessas realidades. Não sei se iria dar ouvidos ao pobre coitado quase analfabeto com família passando fome ou a um empresário executivo como ele reivindicando algo que fosse contra esse cidadão miserável.
Só sei que ele poderia ajudar muito a sociedade, exercendo outras atividades em prol das questões de igualdades e oportunidades, sem ser político. Mas é o sonho dele entrar nos anais da história como homem público. O que pode-se fazer é avaliar o desempenho da função quando ele estive no cargo público, seja no legislativo ou no executivo. Podemos dizer a ele como homem público que saiba ouvir seus representados, e haja com honestidade.

josé damião disse...

Quero te enganar não,Omar...!

Aproveita agora e desça o pau, pois se conseguir se eleger, de pedra,vc vai virar vidraça!!

Anônimo disse...

O problema da Zona da Mata é a cachaça, os eleitores são movido a alcool, essa geração de políticos como bejani e edmar sabem aonde estão o voto movido a alcool. A região só vai melhorar quando essa geração de políticos deixarem de existir.

Anônimo disse...

O Movimento Separatista da Zona da Mata precisa voltar a se articular, queremos o Estado da Paraíba do Sul, a capital em Juiz de Fora e como governador Omar Peres!!

Anônimo disse...

E ai, secretária, o outdoor do Omar Peres também serà retirado?
--Esse , nós vamos retirar mais rápido, pois odeio aquele homem!
Mais secretária, a senhora não acha que se retirá-lo aquele homem e seus jornalista fi
caram no seu pé até pegarem algo?
--É, vc tem razão! Vai complicar!
O pior é que não podemos tirar um e deixar outro!
--Deixa eu pensar, depois resolvemos, mas terei o maior orgulho em retirá-lo!
Essa juíza é muito competente com a prefeitura, não é secretária?
-- Tem toda razão! rsrsrsr





obs- isso é sonho, somente imaginação

Roberto disse...

NÃO CONSEGUIRÃO NOS CALAR:

TerraTodos os canaisDigite no campo o termo que deseja buscarRadiona WebRadiono TerraBuscaEmailHoróscopoTempoAssinaturas e serviçosAssinaturas e serviços
Acesso Banda Larga
Acesso Discado
Antivírus
Central do Assinante
Divulga Fácil
Segurança Total
Sonora Clube
Terra Assistência Técnica
Terra Mail Gigante
Outros Serviços

Notícias»Esportes»Diversão»Vida e Estilo»Terra TV»Sonora»Ofertas»Dia-a-Dia»Comunidades»Chat»VC Repórter»BrasilPolíticaEnviar para amigos Comentar Senado derruba restrições a cobertura de eleições pela web15 de setembro de 2009 • 20h17 • atualizado às 23h57Notíciasimprimirreduzir tamanho da fonte tamanho de fonte normal aumentar tamanho da fonte

Laryssa Borges

Direto de Brasília



O Plenário do Senado aprovou nesta terça-feira, por meio de acordo entre lideranças partidárias, a retirada de restrições de cobertura para portais e sites, acabando com a lista de propostas que censuravam a atuação de páginas da web em campanhas eleitorais. Em uma emenda apresentada durante os debates feitos pelo colegiado, o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) optou por mudar novamente de versão e estabelecer apenas que esteja garantido o direito de resposta em caso de eventuais ofensas durante o processo eleitoral. Com a conclusão da votação da matéria no Senado, ela volta para a Câmara devido às alterações e, para ter validade ainda no pleito de 2010, precisa ser sancionada pelo presidente Lula até o dia 3 de outubro, data que marca um ano antes do primeiro turno.

A sugestão do parlamentar tucano acaba com sua própria tese de que, por exemplo, aos portais não seriam permitidas opiniões em relação a um candidato específico. Em meio aos debates, Azeredo encaminhou nova proposta sobre a atuação da web, resumindo o projeto na premissa de que "é livre a manifestação do pensamento, vedado o anonimato durante a campanha eleitoral, por meio da rede mundial de computadores, assegurado o direito de resposta".

Também pelas emendas apresentadas pelos senadores Alvaro Dias (PSDB-PR) e Aloizio Mercadante (PT-SP), a internet não pode ser equiparada às emissoras de rádio e televisão, concessionárias de serviço público, como chegaram a defender diversos senadores, inclusive o próprio Azeredo. Na avaliação do parlamentar petista, "a história da internet é a história da liberdade".

VAMOS ACABAR COM OS SENADORES ANTES QUE ELES ACABAEM COM O BRASIL.

Roberto disse...

AGORA NEM MESMO O PAI DA CRIANÇA O MENSALEIRO AZEREDO (PATRÃO DO CUSTÓDIO) QUER ACHAR O FILHO FEIO:

"A internet é o grande espaço da democracia contemporânea, direta e representativa. Por ser o espaço da liberdade, é onde se reúne o maior volume de conhecimento que a humanidade produziu. Não vejo como a gente possa tentar controlar o incontrolável, tentar restringir o irrestrito. Não é dado ao Congresso Nacional dispor sobre a extensão à Internet de restrições legais impostas à imprensa, gênero em que se incluem os rádios e as TVs", disse Mercadante.

"A internet é uma forma de comunicação que não admite a censura. Tentar fazer isso é um completo equívoco, em todos os sentidos. O texto proposto (previamente pelos senadores Eduardo Azeredo e Marco Maciel) configura censura prévia e se constitui atraso imperdoável", comentou Alvaro Dias.

"Defendo a liberdade na internet e sou contra a censura desse meio de comunicação que surgiu há poucos anos. Não me coloco e nunca me coloquei contra a internet", rebateu o senador Eduardo Azeredo, argumentando, no entanto, que a completa falta de regulamentação para a atividade na web representaria "a prevalência da insegurança e da omissão".

"A Internet é uma tecnologia que veio para ficar e deve ser totalmente aberta, não sofrendo nenhum tipo de restrição", disse o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP).

ATÉ SARNEY É A FAVOR CRUZES.

Roberto disse...

SUJOU ELES VOLTARAM E VOTARAM ATRAS:

Em discussão nas comissões de Constituição e Justiça (CCJ) e de Ciência e Tecnologia (CCT) do Senado, os parlamentares chegaram a aprovar restrições à cobertura de campanhas eleitorais feitas por portais de internet. Emenda inicial dos senadores Marco Maciel (DEM-PE) e Eduardo Azeredo (PSDB-MG) dispôs que ao portal não seriam permitidas opiniões em relação a um candidato específico, além de todos os candidatos alvo de cobertura pelos websites terem obrigatoriamente de ter o mesmo espaço de destaque, a não ser que houvesse "motivo jornalístico que o justifique".

No texto aprovado pelas comissões, os portais também não poderiam apoiar candidatos via web e seria responsabilidade deles, a partir do início de julho do ano da eleição, não divulgar propaganda política ou difundir opinião favorável ou contrária a candidato, partido ou coligação. Os sites também não poderiam veicular imagens de realização de pesquisa ou qualquer outro tipo de consulta popular de natureza eleitoral em que seja possível identificar o entrevistado. Todas essas restrições foram retiradas a partir de um acordo feito nesta terça em PlenáriO.

A CAMBADA DO SENADO MUDA DE OPINIÃO COMO NÓS MUDAM,OS DE CUECA.

Roberto disse...

MUDANÇA 2

Sites de candidatos
Emenda aprovada pelo Senado acaba com o artigo que estabelece a retirada das páginas dos candidatos do ar dois dias antes das eleições (48 horas) até 24 horas depois da eleição. Atualmente, uma resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) estabelece que os candidatos devem retirar sua página do ar dois dias antes das eleições até 24 horas depois do pleito.

Os candidatos também terão liberdade total na internet ao utilizarem blogs, mensagens instantâneas e sites de redes sociais. Pela proposta, fica permitida ainda a propaganda de candidato, partido político ou coligação e fica autorizado também o chamado tratamento "privilegiado" ou "diferencial" em blogs ou páginas semelhantes que sejam assinadas por pessoa física.

Atualmente uma resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) permite que os candidatos façam campanha apenas por meio de um site destinado para as eleições, sob o domínio ".can.br".

Roberto disse...

PRA ENTRAR MAIS DINHEIRO PODE TUDO:

Doações online
O Senado autorizou a doação eleitoral via internet ou telefone. As transações poderão ser feitas online com cartões de crédito ou débito e por telefone, por meio de boleto bancário ou de cobrança na conta telefônica. Até as últimas eleições, as doações só poderiam ser feitas por meio de depósitos em dinheiro identificados, cheques nominais ou transferência eletrônica de depósitos.

"Doação oculta"
Ao rejeitar emendas, o Senado permitiu que pessoas físicas e jurídicas façam repasses sem se identificarem a partidos políticos, para que essas agremiações, por sua vez, encaminhem para os candidatos. A prática da doação oculta já funciona como praxe em campanhas políticas, emnbora não fosse regulamentada

Roberto disse...

OUTDOOR, BYE BYE

Outdoor
Uma emenda do senador Alvaro Dias (PSDB-PR) que restabelecia o uso de outdoors, banidos em 2006, nas campanhas eleitorais foi rejeitada pela maioria do Plenário. A proposta do tucano tinha por objetivo "reduzir os cursos da campanha". "(É para) Evitar o abuso do poder econômico, manter a cidade limpa e evitar a poluição nas cidades, porque placas, cartazes, pirulitos, estandartes e outras peças utilizadas na campanha proporcionam o abuso do poder econômico", defendeu o parlamentar, sem, contudo, conseguir convencer os demais colegas a aprovar o retorno de outdoors.

Anônimo disse...

Tio,
viu a tribuna de hoje????.....o Todinho quer tirar seus outdoors da cidade!!!!.....Ele ñ quer que vc divulge as pilantragens dele......hehehehe.....vc conhece outra forma de publicidade?????

Abração

Rogério Moraes disse...

O Movimento Separatista da Zona da Mata precisa voltar a se articular, queremos o Estado da Paraíba do Sul, a capital em Juiz de Fora e como governador Omar Peres!!

APESAR DE ACHAR QUE MINAS É INDIVISIVEL, NÃO É QUE EU GOSTEI DESSA IDÉIA....

É PREFERIVEL SER CABEÇA DE RATO QUE RABO DE LEÃO...

LUIZ disse...

MUDANDO UM POUCO DE ASSUNTO... VEREADORES DE JUIZ DE FORA ESTÃO PREOUCUPADOS QUANTO A PEC DOS VEREADORES, POIS AUMENTANDO A REPRESENTATIVIDADE NO LEGISLATIVO , ALÉM DA PREFEITURA DIMINUIR O REPASSE DE 6% PARA 4,5% O BOLO QUE ERA PARA 19, TERÁ QUE SER DIVIDIDO PARA 25, COM ISSO A CÂMARA TERÁ QUE DIMINUIR SEU CABIDE DE EMPREGOS, TERÁ QUE REDUZIR VERBA DE GABINETE E TE PERGUNTO: SERÁ QUE ELES QUEREM? ESPERO QUE COM A ECONOMIA DESSE REPASSE O PREFEITO POSSA INVESTIR NA CIDADE.

Vilma Valim disse...

Omar: discordo de algumas posições de pessoas que se manifestaram neste blog, sobre a questão da atração de empreendimentos econômicos para Juiz de Fora. Não é só a inércia e a má vontade com a Zona da Mata que possibilita a fuga para o Estado do Rio, principalmente nas imediações de Três Rios, onde sempre passamos e assistimos as novas implantações de projetos. Temos que considerar, que também estas regiões possuem infraestrutura suficiente para abrigar tais projetos, além dos incentivosd estaduais. Acho até que muitas delas em melhores condições que Juiz de Fora. Portanto, não vamos continuar achando que somos o "Rei da Cocada Preta" e daqui há 10 anos,continuarmos com as mesmas lamúrias. Abraços

Anônimo disse...

Bando de manés do Brejo:

JF é um Fosso que tornou uma Fossa.

Sem retirar de circulação Politica~ Bejanis, Ithamaus, Edmares Palacios, Delgados Sapôes, bando de imbecis Vereadores e Cús sujos não haverá ppssibilidade de representatividade Politica para atrair investimentos.

JFanos devem pedir apoio maior para a PF, pois a cidade está domininada por gangues de Traficantes, Contrabandistas e por Boates, Prostibulos e bares de fachada que servem para distribuir Drogas.

Juizdeforano de Paraiba do Sul. ------- Nada de novo estado TR e Paraiba, devido honrarmos o estado do RJ ----

Anônimo disse...

Omar, reclama-se muito do descalabro da saude no pais. Vc que é muito bem informado poderia divulgar quanto o municipio recebe de repasses para a saúde e dividir pelo numero de habitantes? Eu tenho a suspeita que o dinheiro vem, mas há muitos ralos. O maior deles é a desonestidade, logo a seguir vem a incompetencia. Dias atrás fiquei sabendo que no Hospital das Clinicas em SP, não mais existe a tradicional folha de ponto, tecnologia do sec. 19, agora é ponto digital, coisa mais atual. Do medico ao mais simples servidor, todos registram entrada e saida colocando o dedo num leitor optico. Acabou a mamata de faltar uma semana e depois sentar em frente a uma folha de ponto e assinar todos os espaços em branco.
Se fizessem isso em Juiz de Fora iam ter que demitir médicos por excesso de pessoal.